FanFictions Wonderland

Gostas de escrever e/ou ler FanFics? Então junta-te a nós e entra neste mundo de Kpop, Jmusic e fantasia ^-^
 
InícioInício  PortalPortal  CalendárioCalendário  GaleriaGaleria  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 [Suju] Slutty Me (eunsihae/kyumin)

Ir em baixo 
AutorMensagem
kim
Moderadora Gráfica
avatar

Mensagens : 737
Data de inscrição : 05/07/2010
Idade : 25
Localização : Coimbra (devia ser seoul -.-)

MensagemAssunto: [Suju] Slutty Me (eunsihae/kyumin)   Qua Jan 04, 2012 9:19 pm


Informações

Slutty Me

Capitulo 1

Passos graciosos e movimentos seguros e felinos rasgaram caminho por entre os casais e empregados que ocupavam o bar de tamanho agradável e ambiente sensual.
“Teuk’s” era a casa de rapazes mais frequentada do lado negro da capital Sul Coreana. Para além de ser um local agradável e frequentado por pessoas de estatuto, era também o lugar onde qualquer prostituto da cidade podia estar melhor. Lee Teuk era um homem esperto, que gostava de jogar limpo naquele mundo sujo. Só contratava maiores de idade, com o registo médico limpo tal como o seu aspecto. Todos os empregados daquela casa tinham um tempo de treino e preparação antes de exercerem. Uma alcunha era-lhes dada, um horário flexível com duas folgas era obrigatório e a toda a segurança e bem-estar dos rapazes era assegurada.
Era o melhor que Donghae podia encontrar pois havia muito pior à sua espera se ele dali saísse, e sem dúvida não havia nada mais para a sua vida. Desde pequeno que o seu destino fora marcado contra sua vontade. Agora era tarde demais. Ser um objecto sexual era a única coisa que o conseguia sustentar. Felizmente o lucro era bastante. Donghae era dos melhores prostitutos daquela casa e bastante requisitado. Sabia que aquele era o seu lugar por isso mais valia saber fazer as coisas como deve ser.
Saber jogar também era algo que uma pessoa aprendia com o tempo e ele não era nenhum estreante. Apesar dos seus recentes vinte e três anos, desde os vinte e um – idade em que se tornara maior - que ali trabalhava e essa fora apenas uma nova localização, a melhor desde que entrara em tal mundo.
A próxima vitima desta noite iria ser interessante.
Primeira nota na intervenção a um cliente: Escolher alguém que se mostrasse interessado e com dinheiro para que pudesse dar o maior lucro possível e para que pudesse voltar mais vezes sempre com a carteira cheia. No entanto, antes dos clientes endinheirados estavam os clientes fáceis.
Encontrar tal cliente era sempre óptimo numa noite agitada. Poder roubar algum tempo e fazer dinheiro fácil sem ter de ser fodido era sempre uma prenda recebida de agrado. Portanto, desde que aquele rapaz moreno entrara dentro do bar que Donghae ficara em alerta, pronto para atacar e não deixar que mais ninguém se aproveitasse da presa. Donghae era das pessoas mais fornicadas naquela casa por isso os seus colegas sabiam que se lhe roubassem um cliente daqueles estariam em maus lençóis. O cliente em questão estava portanto já medianamente alcoolizado, amuado por estar ali e era óbvio que negava com toda a força a sua homossexualidade. Era demasiado fácil para si, chegando até a merecer pena. Donghae era tudo aquilo que um jovem a sair do armário desejava.

- Heechul! – O rapaz amuou para o amigo de cabelos aloirados que o puxava para dentro do bar, rindo-se da sua figura.
- És mesmo bebé! – atirou Heechul, obrigando-o a sentar-se nos sofás cor de rosa. Hyukjae – tratado como Eunhyuk pelos amigos - bufou olhando a mesa redonda.
- Não. Apenas não sou gay como tu. Porque raio me trazes para um bordel?!
- Ai! – Heechul levou uma mão ao peito, escandalizado. – É um bar normal e bastante agradável! Só é bordel se quiseres um serviço extra. E até parece que nunca estiveste em contacto com gays!
- Pois, tenho de ver um todos os dias.
- És mesmo resmungão quando bebes. Não estivemos num dos teus bares? Porque não podemos vir a um dos meus?
- Porque eu não gosto deste ambiente. – o moreno soltou incomodado tentando não reparar no casal de rapazes que se beijava nuns sofás ali perto.
- Só tens de te aceitar. – o mais velho riu-se vendo o olhar fulminante de Eunhyuk. – Certo. Certo. Só ficamos um bocadinho.
Eunhyuk acabou por se render, concordando com um aceno afirmativo ainda com a cabeça baixa. Um rapaz bastante alto e elegante de t-shirt preta com o símbolo do bar em cor-de-rosa e umas calças igualmente em preto, sorriu-lhes agarrando um pequeno bloco azul fluorescente.
- Boa noite. Vão tomar algo?
- Eu quero o cocktail da casa! – Heechul respondeu prontamente e fitou o mais novo que suspirou.
- Pode ser uma cerveja.
- Certo. Trago já.
- Não tenha pressa. – Heechul piscou o olho ao rapaz, fazendo o moreno bufar.

Hyukjae começava a ver tudo muito confuso e colorido. Que raio, porque é que aquele bar tinha de ser tão irritantemente colorido?! Estava farto de estar ali a coleccionar cervejas enquanto Heechul se colava a um gajo qualquer. Se não se preocupasse tanto com o melhor amigo de certo que já se fora embora. Não tinha nada que ficar a servir de vela às suas conquistas.
Sentiu uma mão percorrer os seus ombros e arrepiou-se, olhando para trás. A imagem estava um bocadinho balançante mas sabia perfeitamente que o que estava à sua frente era… Hmm… O rapaz mais atraente, bonito e com o ar mais oferecido que ele se lembrava de encarar dentro da sua memória encurtada pela bebida.
O rapaz tinha uma pele demasiado morena para Coreano e o cabelo era ruivo cuidadosamente desorganizado com cera. Todo ele era sensual e exótico, apesar das feições da sua cara serem perfeitas, com aquele casaco de pelo a imitar raposa, e uma camisola cor-de-rosa choque toda furada que mostrava ligeiramente o corpo trabalhado. Tinha também uns quantos colares como acessório que por mais estúpido que parecesse lhe ficavam bem e umas calças pretas justas ao corpo, enfiando-se para dentro de umas botas de homem bastante elegantes. Era óbvio que era um dos rapazes da casa.
- Hei…Estás sozinho?
- Hmm… - Eunhyuk fez um beicinho tentando lembrar-se de como se falava. – Sim.
- Não estás farto de estar sem fazer nada?
- Um bocadinho… - o moreno brincou com o copo da bebida desviando o olhar do rapaz hipnotizante.
- Não te queres divertir?
- Hmm… divertir?
- Podíamos ir para um sítio mais calmo… O que me dizes? – o ruivo falou junto do ouvido de Eunhyuk. A sua voz percorreu a espinha do mais novo, levando-o quase a responder um sim descontrolado. O rapaz optou por se afastar para o encarar mas era ainda pior ao olhá-lo.
- O meu amigo…
- O teu amigo quer privacidade. Queres estar aqui a mais?
- Não.
- Então anda. Eu levo-te para um sítio melhor. – Donghae agarrou na mão do mais velho, levando-o consigo para as escadas que davam acesso aos quartos no andar de cima.
Sungmin cruzou os braços vendo os dois subir.
Porque é que Donghae conseguia sempre levar todos para a cama com aquela rapidez e ficar sempre com os clientes interessantes?
Não era justo. Se não se tratasse de um amigo era capaz de lhe partir qualquer coisa comandado pelo ciúme.

Eunhyuk sentiu o seu corpo ser deitado numa cama. Boa. Só queria dormir, estava tão cansado e tonto…
Donghae foi para cima de si e sorriu-lhe percorrendo a sua cintura e peito com as mãos ávidas. O moreno gemeu com o toque preciso. Aquela pessoa era um deus… Ou deusa… E ele estava a alucinar. Queria tanto sentir mais daquilo… Percorreu os contornos do ruivo com desejo enquanto este o beijava pelo peito descoberto pela camisa entreaberta e subia o toque para o pescoço.
- Gostas disto, sexy? – o mais novo indagou mordendo a orelha do rapaz que estava numa luta entre ter mais daquilo e aproveitar a cama para dormir. Eunhyuk sorriu então e puxou-o para si como se o fosse beijar. No entanto não o fez. Ficou a fitar com uma concentração exagerada a face do ruivo. Donghae olhou-o confuso enquanto o moreno tentava focar a mancha até ter a cara do ruivo nitidamente à sua frente. Quando ficou próximo disso sorriu inocentemente.
- Uou… És lindo, sabias? – o rapaz soltou com sinceridade antes de descair a cabeça para o lado, adormecido.
O ruivo sorriu sem jeito. Ele podia estar bêbedo mas mesmo assim, tal constatação soara tão pura e verdadeira que lhe aquecera um pouco o coração. Já ouvira frases como aquela milhares de vezes. Mas tinham quase sempre um tom ou sabor nojento e negativo. Não desta vez. Desta vez fora agradável, como se ele nunca tivesse ouvido tal elogio antes.
Suspirou tentando concentrar-se. Levantou-se arranjando a roupa e retirou a carteira do bolso das calças do moreno. Retirou o dinheiro que estava lá dentro que era “pouco” mais que aquilo que ele devia por curtir com um prostituto. Não que isso tivesse acontecido totalmente pois tinham sido apenas uns beijos mas ele não precisava de saber tais pormenores. Atirou-lhe um beijo pelo ar e saiu do quarto.
- Bye, honey… Dorme bem. – o ruivo riu-se e desceu as escadas procurando o amigo dele que estava enrolado com um rapaz qualquer. Tocou-lhe no ombro e cruzou os braços.
-Se quiseres ir buscar o teu amigo ele está lá em cima. Quarto número treze.
- Oh… - Heechul olhou o estranho confuso. – Okay, obrigado.
Donghae mal ouviu o agradecimento pois já tinha dado meia volta para ir de novo analisar o movimento no bar.
Sungmin agarrou-o pela cintura com um ar cúmplice.
- Então, como correu o Sr. Fácil?
- Mete-te na tua vida.
- Deixa de ser puta e conta! – Sungmin abanou-o, fazendo-o suspirar.
- Correu optimamente… Digamos que ele pagou o equivalente a uma oral que não teve.
- Sabes… Isso é roubar.
- Não tenho culpa que ele não tivesse pedalada. Foi o que ele pediu.
- Ah e ele lembra-se disso? – Sungmin curvou a sobrancelha. Donghae sorriu sacana.
- Não. Mas é apenas porque estava bêbedo. – o ruivo piscou o olho ao amigo e afastou-se para procurar um novo cliente. Sungmin também não teve tempo de se preocupar mais com ele pois já tinha um provável cliente a rondá-lo.
Donghae sorriu enviesado quando encontrou uma figura sozinha num dos sofás escuros do bar observando o ambiente enquanto saboreava uma bebida cara. A sua roupa era também bastante cara e todo o seu aspecto ditava alguém de luxo, disposto a pagar por divertimento.
Donghae encostou-se junto de uma das várias colunas espalhadas pelo bar. Eram colunas finas com tubos néon irradiando um cor-de-rosa choque elegante e sensual que davam uma certa privacidade às várias mesas. A sua pele tinha agora uma leve tonalidade rosa brilhante da luz do néon onde estava encostado enquanto observava o indivíduo com um olhar sedutor e enigmático.
O homem que devia ser pouco mais velho que ele encontrou o seu olhar e toda a sua postura pareceu mudar. Donghae sorriu. Conhecia aquela reacção. Parecia que tinha um novo cliente.
O moreno olhou-o discretamente mas com um interesse notável por isso o ruivo decidiu atacar e ir ter com ele.
O seu corpo deslizou com confiança na direcção do moreno e só parou à frente da sua mesa ficando a observá-lo com um ar altivo.
- O que anda um rapaz como tu a fazer por um bar como este? – Donghae quebrou o gelo. O outro sorriu bebendo um pouco do líquido dentro do seu copo.
- Andava à tua procura.
- A sério? – Donghae levantou as sobrancelhas num gesto de falso interesse. Até gostara da saída do moreno mas também tinha a sua cota parte de foleiro.
- Podes sentar-te. Eu não mordo. – o moreno sorriu. Donghae passou a língua pelos lábios apreciando-o.
- Veremos… - suspirou sensualmente sentando-se junto dele e remexendo no seu cabelo.
- Choi Siwon. - o moreno apresentou-se, esticando a mão.
- Haenim… - Donghae passou a ponta de dois dedos seus pelos contornos da mão do rapaz. – Então… Queres ficar a conversar ou fazer algo mais divertido?
- Algo mais divertido? – Siwon humedeceu os lábios com a sua língua, sorrindo enviesado.
- Sei umas quantas coisas que acho poderem te divertir.
- Sabes? – o mais velho curvou uma sobrancelha fazendo-se desentendido. Donghae sorriu sacana.
- Não acreditas?
- Só quando me provares. – Siwon provocou. Donghae sorriu confiante e levantou-se.
- Então porque não me segues? – convidou com aquele ar de oferecido que fazia todos os seus clientes desejar estar com ele. Siwon levantou-se também deixando uma nota em cima da mesa.
- Estou mesmo atrás de ti.


Continua...

Espero que gostem ^^


Última edição por kim em Ter Jul 03, 2012 6:21 pm, editado 2 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://twitter.com/kimurapd
Cho MinTae
Moderadora do Blog
avatar

Mensagens : 1128
Data de inscrição : 23/06/2010
Idade : 26
Localização : South Korea

MensagemAssunto: Re: [Suju] Slutty Me (eunsihae/kyumin)   Qua Jan 04, 2012 11:16 pm

Eu não sei o que comentar disto, sinceramente. Eu só me apetece gritar e surtar porque isto é um atentado ao meu coração fraco!
Oh god! Eu adoro esta fic, amo amo mesmo só com o primeiro capítulo ~ E porquê? Porque eu adoro um bom SuJu porn *confessei mesmo*
Depois, começares logo com o Donghae tão sugestivo assim na foto é querer matar a malta mesmo antes de ler! Aish! Eu não vou comentar a foto, não vou! XD
Adorei o facto do Heechul levar o Eunhyukkie para um bar daqueles! Como bom hyung que ele é, tem de compartilhar com os mais novos as coisas boas da vida *apanha*
Gah, só o ambiente do bar, aquilo tudo, nhaiii me likes a lot oh oh Cool
E tou a ver que o Teukie é o boss disto tudo ~~
Páh, o Donghae provoca demais, que tentação é esta senhores? u.ú
E Sungmin também é slut, AMO XD Ele fica tão hot nesse papel ~ Slut Min is sex! *apanha*
Awww o Siwon'zinho já foi apanhado ~

E eu não comento mais nada para o bem geral XD
Só te peço que postes mais que eu estou a adorar isto tudo e quero ver o resto da cambada entrar em acção XD
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://chomintae.tumblr.com/
MiyaHaru
FanFiction Maniac
avatar

Mensagens : 511
Data de inscrição : 21/07/2010
Idade : 27
Localização : Porto. Portugal

MensagemAssunto: Re: [Suju] Slutty Me (eunsihae/kyumin)   Sex Jan 06, 2012 10:23 pm

AMO!!

OH MY GOD o hae tá tão slut!!
Já disse que te amo Kim?! Sério! Obrigado por meter o Hae tão slut!
E obrigado por teres acabado na melhor parte -.-"
Eu adorei a conversa dele com o minnie ahaha!

Estou a espera do outro capitulo Kimzinha!!

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
kim
Moderadora Gráfica
avatar

Mensagens : 737
Data de inscrição : 05/07/2010
Idade : 25
Localização : Coimbra (devia ser seoul -.-)

MensagemAssunto: Re: [Suju] Slutty Me (eunsihae/kyumin)   Sex Jan 06, 2012 10:35 pm

Thanks meninas! ^-^
Um novo capitulo grandinho. Eu gosto deste capitulo ~~ principalmente da parte do Kyuhyun, I love his character! *_*
Enfim, espero que gostem :3

Slutty Me - Capitulo 2

- Então porque não me segues? – convidou com aquele ar de oferecido que fazia todos os seus clientes desejar estar com ele. Siwon levantou-se também deixando uma nota em cima da mesa.
- Estou mesmo atrás de ti.


Os dois entraram dentro do quarto depois de Donghae ir buscar uma chave ao balcão de atendimento, e lhe explicar os preços. Percebera logo que Siwon não estava interessado nisso. Pagaria o que viesse na conta sem problemas.
O que não estava á espera é que Siwon o agarrasse assim que a porta fechou, atacando-o com um beijo. Donghae sorriu, impressionado.
- Pagas mais por me beijares nos lábios…
- Não me interessa. Pago o que for preciso… - o moreno partilhou antes de voltar a reclamar os lábios do ruivo com desejo e arrogância. Donghae conhecia bem o estilo, mas sinceramente não estava à espera que ele fosse tão bruto. Todos seus os movimentos eram arrogantes e brutos. Siwon tinha demasiada força para o seu corpo delgado.
Só descansou um pouco quando os dois caíram na cama, Donghae por cima de si, provando-lhe que o podia divertir com os seus dotes. Entre toques mais calmos e excitantes, Donghae despiu o seu cliente deixando que ele também lhe tirasse as roupas. Siwon tinha sem dúvida um corpo invejável e perfeito. Ele poderia facilmente ser um modelo famoso. Não percebia o que estava uma pessoa destas a fazer numa casa de prostituição quando podia ter qualquer pessoa, sem pagar…
Mas Donghae já percebera que ele nadava em dinheiro de modo que esta devia ser uma das suas extravagâncias. Via-se de tudo de qualquer das formas.
Siwon rapidamente o agarrou, invertendo as suas posições e atacou-o pelo pescoço e ombro, peito e costelas. Donghae gemeu de dor com as sucções e mordidelas agressivas que magoavam. Bastante. E sempre que Donghae gemia isso entusiasmava mais o moreno, levando-o a piorar. Donghae afastou-o, tentando acalmá-lo.
- Hei, eu não sou cotado com S&M, okay? Não faço sadomasoquismo…Temos gente própria para isso por isso tens de te controlar ou obrigas-me a chamar a segurança.
Siwon sorriu mas Donghae pode jurar ver um traço de irritação naquele olhar.
- Desculpa é só que gosto de marcar as minhas… conquistas.
- Cert… - Donghae tentou falar no entanto os lábios do moreno impediram-no de continuar, beijando-o com um desejo desmesurado e violento. Siwon afastou as suas pernas forçosamente e puxou-o para si enganchando os seus braços na sua cintura para a erguer. No entanto, Donghae esquivou-se arrancando-se do toque do moreno.
- Not so fast, big boy… - o loiro suspirou escondendo a irritação com um sorriso e virou-se de costas para o cliente esticando-se na cama para agarrar um preservativo da taça na mesa de cabeceira. Siwon foi para cima de si beijando-o pelas costas.
- Eu não gosto dessas coisas…
- Pois, eu não quero saber… - Donghae sorriu virando-se para beijar o moreno e colocar-lhe o objecto viscoso. Siwon acabou por não se queixar, mas agarrou-o ainda mais violentamente repetindo o processo de abrir as suas pernas e o encaixar em si. Donghae apenas gemeu com os movimentos desesperados e rudes de Siwon e não pode evitar gritar quando sentiu o moreno penetra-lo violentamente de uma vez só, atirando a cabeça para trás e agarrando-se ao rapaz por cima de si com toda a força. Felizmente que ele estava bem treinado e habituado ou podia ter partido uma costela.
Siwon não parou um momento nem se interessou minimamente pelos gemidos de dor de Donghae, investindo contra a sua cintura e agarrando-o com desejo, As suas mãos como ganchos no corpo do ruivo. A sua cintura investindo com segurança e brutalidade, os olhos cerrados, concentrando-se no seu prazer e sem pensar em mais nada.
- Si-Siwon! – o ruivo gemeu, enquanto a dor começava a dar lugar ao prazer, vendo o moreno perder a respiração algumas vezes concentrando-se em aumentar a velocidade para atingir o clímax. Então, o moreno, começou a perder o ritmo e a força, os gemidos começaram a aparecer e rapidamente, este atingiu o clímax. Quando Donghae estava a começar a ficar excitado. Não que isso fosse um problema porque rapidamente Siwon estava pronto para uma segunda ronda, sendo ainda mais animal e bruto mas desta vez, só desta vez, Donghae veio-se consigo.

****
A porta do apartamento abriu-se e o ruivo entrou para encontrar um espaço vazio e triste. O espaço onde vivia. Ou melhor, comia e dormia.
Não que fosse mau… Gostava do seu cantinho e estava bem decorado e com boas condições… Mas gostava de ter tido outra vida. De não chegar de manhã a casa e não ter ninguém à espera.
A luz da manhã entrava pelas janelas da sala que era também cozinha pois tratava-se de um t-1. Donghae estava exausto. O idiota do seu último cliente, Siwon, tinha-o possuído noite fora como um autentico animal. Não que fosse novidade, mas ele era tão lindo… Podia ter sido mais doce e não um bruta montes!
- “Freaks”… - o ruivo abanou a cabeça deixando cair a mochila no sofá para depois se atirar ele para cima deste.
O melhor é que perdera a sua t-shirt cor-de-rosa esburacada… O mais provável era Siwon a ter roubado. Muitos dos seus clientes adoravam ficar com lembranças… Mas aquela t-shirt dava-lhe destaque e clientela… Tinha de pedir uma nova à umma.
Apesar de lhe apetecer adormecer naquele preciso momento, Donghae sabia que não podia ser assim. Não se podia descuidar. Por isso obrigou o seu corpo a arrastar-se para a casa de banho onde tomou um banho e iniciou o seu processo de limpeza e beleza, pior que uma miúda. Depois, parou pela banca para preparar uma refeição saudável e rica em nutrientes e boas gorduras como o seu corpo pedia. Complementada obviamente por uma selecção de comprimidos obrigatórios. Se queria ser um prostituto de luxo tinha que cumprir rigorosamente esta rotina para se manter na melhor forma.
Só depois disto o seu corpo podia morrer na cama durante o máximo número de horas que lhe fosse permitido.

***
Hyukjae estava perdido em pensamentos, quando o apoio da sua cabeça, ou seja, a sua mão, voou para fora do sítio com um puxão rápido, obrigando-o a acordar de repente para não bater com a testa na secretária.
Kyuhyun caiu na cadeira de escritório deslizando um pouco com as rodas pelo chão de pinho e gargalhando enquanto mordiscava uma caneta.
- Na lua, colega? – o mais novo picou com um sorriso sacana. Eunhyuk suspirou.
- Vai dar milho aos patos, Kyuhyun…
- Até ia. Mas não me deixam sair do escritório. – um beicinho apareceu no mais novo.
- Pois, realmente deve ser um pranto para ti, mandrião. – o mais velho olhou-o de lado.
- Hei, vê lá as ofensas.
- Ninguém aqui está a ofender.
- Os problemas começam quando nós perdemos a noção que magoamos quem amamos, sabes? – Kyuhyun fingiu um ar tocado e sério que obrigou Eunhyuk a rir dando-lhe um empurrão.
- E entramos para a violência doméstica. Bom caminho, Hyukjae.
- A sério Kyuhyun… O que é que tu queres?
- Quero que me ajudes a fugir do escritório mais cedo, hoje à noite. – a mais novo sorriu de orelha a orelha. Hyukjae curvou uma sobrancelha, arregalando o olhar
- Uau, já nem te dás ao trabalho de me dares falinhas mansas. Estou mesmo a educar-te mal.
- De certo. Mas de qualquer dos modos… Ajudas-me ou não?
O mais velho olhou Kyuhyun rigidamente obrigando-o a fazer beicinho. Eunhyuk suspirou.
- Okay. Eu cubro-te. Mas não penses que faço o teu trabalho! E se for apanhado traio-te no momento, não quero que fique a sobrar para mim. – o moreno apontou um dedo convicto ao colega. Kyuhyun agarrou a sua mão e beijou-a euforicamente.
- Obrigado! Obrigado! És o maior meu. – soltou apontando os dois indicadores ao amigo.
- Nã, nã, nã… Ajudo-te mas vais-me contar o que andas a aprontar!
- Ai, já estás a pedir demais.
- Nem tentes. – Eunhyuk arregalou o olhar em aviso. Conhecias bem os joguinhos de Kyuhyun de inversão de papéis. Quando uma pessoa dava conta estava a pedir-lhe desculpa por algo que [s]ele[/s] lhe fizera de mal.
- Tenho um encontro, okay?
- Oh… Quem é ela?
- Não tens nada a ver com isso…
- Uou, é um ele?
- Hei, tu é que és o homossexual homofóbico, não eu.
- Eu não sou homossexual! Que mania! – Eunhyuk protestou. Kyuhyun riu-se em resposta abanando a cabeça.
- Como queiras. Mas és homofóbico. Qual é o problema de ser um ele?
- É mesmo um ele? – Eunhyuk riu-se.
- Tu conheces-me… Ele… Ela? É irrelevante. – Kyuhyun encolheu os ombros com ar distraído e igualmente descontraído. Eunhyuk acenou compreendendo. Conhecia a peça bem demais. Nunca havia drama para este gajo. De certo que fora um hippy na vida anterior.
- Okay, então… Olha, ao menos aproveita a noite, já que no próximo dia podes estar desempregado.
Kyuhyun bateu com o punho no peito, preparando-se para deixar o gabinete do colega.
- É bom ter total confiança em ti para me encobrires.
- Sabes…! - Hyukjae sorriu-lhe com ar matreiro. – Temos que ser uns para os outros.
- Hei! Eu percebi a facada! – o moreno atirou saindo do escritório.
- Era para perceberes! – foi a última coisa que Eunhyuk - desta vez – gritou, antes de suspirar recostando-se na cadeira. Ia ser despedido às custas deste gajo.

***
Donghae resmungou irritado. Quem fora o desgraçado que inventara as campainhas dos apartamentos?! Se essa pessoa fosse viva ele próprio a mataria pois não podia haver som mais irritante para despertar alguém de um sono profundo.
E a seguir ia matar quem não desistira até agora da maldita campainha. Era uma da tarde! Uma da tarde! A tarde era uma criança e ele precisava de descansar até meio da tarde pelo menos.
- Quem é? – o ruivo praticamente rosnou.
O lobo mau. E abrires a puta da porta não?
Donghae suspirou carregando no botão para destrancar a porta da entrada. Claro que tinha de ser Sungmin. Só ele poderia saber que podia pressionar a porra do botão o tempo que quisesse que de certo Donghae ia estar em casa a dormir como sempre, se lá aparecesse depois do trabalho.
- Acordaste cedo. – o ruivo comentou quando Sungmin entrou pela sua casa a dentro.
- Saí mais cedo que tu. Ninguém te manda ter mais experiência, tens de aguentar mais.
- Certo… O que é que tu queres? Tens noção que tenho direito a te estrangular por me acordares à uma da tarde…
- Tenho. Mas tenho também um motivo forte para estar aqui. – Sungmin sorriu olhando o mais novo.
- Que é..? – Donghae incentivou sem paciência para conversas.
- Preciso mesmo do teu casaco de cabedal negro azulado! – o de cabelos negros agarrou no colarinho da t-shirt de Donghae com o ar mais desesperado e adorável imaginável.
- A sério?! A sério, Lee Sungmin? Acordas-me para me pedires um casaco?!
- Porque preciso dele para o final da tarde! É o casaco perfeito para esta noite!
- Esse casaco é caro, não é para o bordel! – Donghae acusou irritado.
- Eu sei anormal, eu estou de folga.
O ruivo olhou Sungmin confuso e desconfiado, cruzando os braços.
- O que é que vais fazer esta noite? – indagou curvando uma sobrancelha. No entanto Sungmin não lhe respondeu, fitando-o com um ar fascinado.
- Opá eu sei que sou irritante, mas tu ficas tão diferente sem estares todo arranjado e produzido. Ficas tão homem de t-shirt escura e calças de fato de treino… - Sungmin gargalhou agarrando o bicep do mais novo. Donghae revirou o olhar.
- Repito… O que é que vais fazer esta noite?
- Oh. Tenho um encontro. – o mais baixo respondeu entusiasmando, ajeitando o seu cabelo negro. Donghae curvou uma sobrancelha.
- Um encontro…
- Sim, um encontro, qual é o mal? – Sungmin emproou-se levando as mãos às ancas.
- Nada… É só que o teu emprego proporciona ciúmes e dramas nas relações, sabes?
- E eu tenho anormal escrito na testa?
- Provavelmente. – Donghae sorriu sacana. Sungmin suspirou.
- Ele não sabe, okay? Acha que eu trabalho no bar.
- Conheceste-o no bordel?!
- Não! Que nojo. Ele é um antigo amigo, okay? Namoramos na escola secundária na nossa cidade Natal… Agora reencontramo-nos aqui… E ele trabalha numa editora… Não lhe posso dizer que arranjei este emprego para me sustentar…
- Mas ele pode descobrir.
- Pode se tu abrires a boca! – o mais pequeno enfureceu-se.
- Ya, vou já a correr contar-lhe. Por amor de deus… Queres o casaco ou não?
- Sim, por favor! – Sungmin sorriu adoravelmente e cheio de um entusiasmo doce que derretia qualquer um.
Donghae achava piada às mudanças repentinas de humor de Sungmin. Ele era tão carismático e expressivo que chegava a ser assustador.
Era ainda mais assustador que um rapaz apaixonado por literatura, tivesse de se entregar a uma realidade tão cruel enquanto tentava dar o seu trabalho a conhecer às editoras.
O casaco preto azulado não demorou muito tempo nas mãos de Donghae, sendo lançado contra Sungmin.
- Diverte-te.
- Oh, obrigado! – o de cabelos negros abraçou o mais novo deixando-o atónico.
Era demasiado raro para Donghae ser assim abraçado, por simples agradecimento. Um gesto tão simples e impensado, deixava o ruivo sem jeito, defensivo até. Nunca ninguém lhe tocava sem querer algo em troca. Ou tocava apenas para um abraço. Sungmin também sentiu o corpo de Donghae reprimir o gesto e como tal afastou-se rapidamente.
- O-Obrigado. Vemo-nos amanhã.
- Sim… Sim, depois vem-me dar o casaco a casa, não mo entregues no bordel, okay? – o ruivo pediu, abrindo a porta.
- Okay. Porta-te bem!
- Porto sempre.

Continua...

Partilhem o que acham do rumo da história e das personagens ~~
E para despedida, just a fun macro I found now.
Spoiler:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://twitter.com/kimurapd
Cho MinTae
Moderadora do Blog
avatar

Mensagens : 1128
Data de inscrição : 23/06/2010
Idade : 26
Localização : South Korea

MensagemAssunto: Re: [Suju] Slutty Me (eunsihae/kyumin)   Sex Jan 06, 2012 11:34 pm

Oh sweet lord, esta fic é tudo o que eu pedi *-*
Ok, eu não vou ser muito fangirl --'
O Siwon para além de ser apressado ainda é bruto! OMO ~ be strong Hae!
Porra, mas o homem tem fogo como tudo! E depois admira-se de lhe chamarem "horse" e... oh anyway ^^''
Eu fiquei curiosa para saber mais do Siwon, o que é que ele faz e sendo tão endinheirado e hot like fire porque é que foi descarregar as frustrações a um bordel... explain that to your dear readers Kim ^^
Devolvam a t-shirt rosa esburacada ao rapaz que ele precisa dela! E oh, que pecado que é o Hae com aquele pedaço de tecido no corpo, aish ~
GAH! Eu ri tanto com a cena do Eunhyuk e do Kyu XD EVIL MAKNAE ao ataque Razz Ele é tão funny, adoro!
Imaginar o Kyu a fazer beicinho e olhares de sofrido ao Hyuk é priceless XD E a beijar-lhe a mão too!
Hum... com que então o Kyu joga nos dois campos... muito polivalente huh~ Cool
E aish, eu adoro o Sungmin boca suja, dirty talkings and stuff like that XD
HOLY SHISUS! Sungmin + cabedal... I CAN'T! A ultima vez que eu juntei os dois não deu bom resultado... para o meu coração, oh *deep breaths*
Ok, ok ~ I'm fine XD
WHAAA ~ algo me diz que este encontro é KyuMin *I want*
Por isso se há KyuMin a caminho não podes demorar a postar o próximo senão eu não aguento a espera!
I'm in love with this ♥️

E adorei o macro, btw XD

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://chomintae.tumblr.com/
kim
Moderadora Gráfica
avatar

Mensagens : 737
Data de inscrição : 05/07/2010
Idade : 25
Localização : Coimbra (devia ser seoul -.-)

MensagemAssunto: Re: [Suju] Slutty Me (eunsihae/kyumin)   Seg Fev 06, 2012 2:12 am

E passado um mês sem fic, estou de volta! Yey! xD Eu sou um espectáculo x) Mas é que o word apagou-me este episodio e tive de rescrever tudo e este mês foi louco -.- Mas não volto a fazer outra tão cedo visto ter vários episodios para a frente xD Eu escrevo aos saltos, anyway U-U
Hoje o capitulo vai ser exclusivo de Kyumin praticamente *_*
Ah e escusam de andar aos saltos à espera de smuts porque nesta fic o main point não é esse por isso as cenas de sexo nunca vão ser muito descritas até mais para a frente quando houver motivos para essas cenas importarem ^^
Anyway, hope you enjoy Very Happy
Um capitulo grande para compensar ^^


Slutty Me - Capitulo 2

Kyuhyun nunca era atingido pelo stress em ocasião alguma. Isso era uma reacção típica de falhados que não sabiam viver o dia-a-dia e queriam morrer cedo.
Kyuhyun nunca se apressava com nada e como tal, nunca chegava a horas a lado nenhum. Não que ele fosse preguiçoso ou descuidado, antes pelo contrário. Mas digamos que ele gostava de se reger pelo seu próprio horário, antes de se preocupar com os outros. Podia ser o seu pior defeito mas, em vez, era apenas um dos muitos da sua personalidade demasiado descontraída e complicada.
Mas como ele dizia, quem não gostava não comia e Kyuhyun estava minimamente importado se alguém não gostava da sua maneira de viver. Sabia que os verdadeiros amigos estavam lá para o aturar. Pessoas essas que ele prezava à sua maneira, e o resto eram palmeiras.
No entanto, nem os amigos podiam esperar que ele despacha-se a cauda para chegar a horas a algum lado tirando o próprio emprego, onde aí sim, ele era o maior fingido possível e se tornava alguém digno.
O moreno gostava de viver com o seu tempo e se o seu corpo pedisse para sair mais tarde de casa ou demorar-se mais tempo no trânsito da cidade sem se preocupar em ultrapassar ou apanhar atalhos não havia nada a fazer e não valia a pena resmungar. Kyuhyun iria sempre chegar atrasado a um encontro ou saída de amigos e pedidos de desculpas eram para aqueles que estavam arrependidos.
Ou pelo menos ele assim achava, até hoje.
Até se ver no local do encontro exactamente 15 minutos antes da hora marcada.
Devia ter ficado no escritório até às últimas, irritando Hyukjae até decidir que estava na hora de fugir. Devia ter feito um dos seus lanches compridos e tomado um banho de imersão demasiado longo, mas ao invés disso vira-se no escritório em pulgas para sair de lá assim que as 7 e meia surgiram no visor do seu portátil. Carregara demasiado no acelerador do seu automóvel e fizera uma passagem rápida por casa, arranjando-se por entre olhadas rápidas ao seu relógio de pulso. Sabia que as horas não falhariam num relógio daquele preço – Sim, Kyuhyun tinha uma queda para relógios caros mesmo que o emprego que tinha não lhe proporcionasse direito a tais mordomias, mas ele acreditava que valia a pena poupar para tais colecções – mas mesmo assim parecia sem dúvida que o tempo estava demasiado lento.
Só podia estar a enlouquecer… Tudo isto por um par de olhos rasgados lindíssimos, adornados por um cabelo cor de corvo. Tudo isto por uns lábios em forma de morango… Um par de lábios que lhe roubara tantas vezes a respiração no passado.
Kyuhyun sabia que aqueles eram os únicos lábios com quem ele realmente sonhara noites dentro e desejara nos seus tempos de escola, ainda na sua terra Natal. Sabia que nunca ninguém o deixara tão sem jeito como o dono daquelas feições perfeitas. E sabia que nunca mais ninguém teria o mesmo efeito por isso esperara com certeza não voltar a perder a sua respiração daquela forma… Até ter entrado naquele bordel.
Fora numa noite iguais a tantas outras em que a malta ia sair e descontrair até um karaoke que o destino dos dois fora traçado. Heechul tinha descoberto um novo bar bastante interessante que deixara Kyuhyun com os sentidos despertos. Eunhyuk e Ryewook nunca alinhariam nas loucuras de Heechul. Os seus queixos tinham caído quando ele mencionara “venda de sexo” no tal bar mas Kyuhyun nunca se admirava com a mente do loiro. Como tal, os outros dois tinham ficado na sala reservada pelo grupo, bebendo as suas cervejas de soja, conversando e cantando enquanto ele e Heechul iam explorar o bar recém-descoberto.
Fora quando aqueles lábios perfeitos apareceram à sua frente.
Lee Sungmin, a sua paixão de infância, a quem o tempo e o destino separara de si, estava à sua frente num bordel, anos depois de perderem contacto.
Reconheceram-se no momento e não havia maneira de esconder. Os queixos de ambos tinham caído praticamente ao mesmo tempo com o choque do encontro.
Sungmin não mudara nada, os anos tinham-lhe feito apenas bem.
- Kyuhyun?! – o rapaz indagara, em total choque, um certo nervosismo e atrapalhação cobrindo-lhe a expressão. O moreno acenara afirmativamente, entoando o seu nome com certeza, em resposta. Heechul soltara um “Vocês conhecem-se?” antes de Kyuhyun lhe virar a atenção para algo mais ao seu gosto de forma a poder ficar a sós com o corvo.
Fora quando ficara a saber que Sungmin viera viver para a capital à coisa de um ano e estava a trabalhar naquele bar, a servir às mesas. Kyuhyun também partilhara que trabalhava numa editora mas as circunstâncias não deixaram prolongar a conversa e como tal os dois rapazes decidiram combinar um encontro para por a conversa em dia, antes de Kyuhyun sair dali disparado, não querendo mostrar à antiga paixão que frequentava sítios daqueles com interessa em comprar favores sexuais. Na verdade só fora lá pela curiosidade, não precisava de comprar sexo quando havia tanto grátis.
E agora aqui estava ele, 15 minutos antes da hora marcada, tentando sentir-se normal quando acabara de fazer algo que nunca fizera por ninguém, apenas porque queria estar com Lee Sungmin.
Olhou o relógio demasiada vezes ajeitando a sua camisola de lã. Esforçara-se por parecer descontraído e sem intenção de seduzir com a roupa por isso ficara-se por uma camisola de lã clara como estava na moda e umas calças de ganga negras a acabarem em sneakers brancos.
Felizmente o corvo chegara exactamente à hora esperada. O corpo franzino envergando umas skinny jeans negras e uma sweatshirt de gola em V, em tons cinzentos com um casaco de cabedal negro azulado e umas sneakers na mesma cor. O cabelo negro mais liso e brilhante que nunca e os olhos com um toque de sombra escura que lhe duplicavam a sensualidade do olhar, apesar de este por si só já fazer o trabalho todo. Quando Sungmin lhe sorriu, cumprimentando-o, o moreno demorou algum tempo a processar a informação, perdido na sua beleza. No entanto, quando falou não mostrou de todo como o seu cérebro estava emaranhado pela sua presença.
- Boa noite, Sungmin hyung. – O rapaz mostrou o seu sorriso perfeito. Sungmin era mais baixo e com um aspecto mais novo que Kyuhyun mas na verdade, Kyuhyun não podia deixar de lhe chamar hyung. O corvo era 2 anos mais velho.
Mas isso não impedia que Sungmin se sentisse uma criança junto do moreno, as memórias do passado assaltando-o enquanto ele o olhava. Tinham-se passado 5 anos desde que Kyuhyun partira para a faculdade longe da casa junto à sua e os dois tinham perdido o contacto. Tinha sido um desgosto ao início mas com o tempo todo engolido pela faculdade, fora fácil de ultrapassar. No entanto os sentimentos não tinham desaparecido. Depois de 3 anos de namoro Kyuhyun continuava a ser extremamente especial.
- Vamos entrar? – o corvo indagou apontando para o restaurante discreto que tinham escolhido. Kyuhyun aprontou-se a dar-lhe passagem para entrarem. O seu cérebro não conseguindo impedir os seus olhos de fazerem uma retrospecção ao corpo do rapaz á sua frente. O sacana continuava estupidamente atraente e apelativo como sempre e no fundo, Kyuhyun não conseguia evitar em pensar como seria o final desta noite. Acabaria a dormir na sua cama, sozinho? Ou os anos não tinham mudado também Sungmin e este estava solteiro e ainda apaixonado por Kyuhyun? Queria acreditar que Sungmin não tinha ninguém visto trabalhar num bordel mesmo como empregado e ter aceite o seu convite. Mas a dúvida estava a matá-lo.

- Então… - Kyuhyun começou momentos depois, unindo as mãos em frente à sua expressão enigmática. Sungmin estava completamente perdido nos antebraços desnudados do rapaz que se perdiam desde os cotovelos poisados na mesa, devido às mangas da camisola de lã estarem arregaçadas. – Da última vez que confirmei, estavas no mesmo curso que eu. E que eu saiba não mudaste quando também parti para a faculdade. Porque estás a trabalhar nesse bar?
Directo como sempre. Sungmin não podia esperar diferente do mais novo. Kyuhyun sempre tivera a língua demasiado afiada.
- 5 anos… - O rapaz sorriu tragando um pouco do vinho que o empregado colocara no seu copo com um sorriso nos lábios. Era um restaurante barato e discreto mas o atendimento nunca desapontava. – Tanta coisa mudou mas vejo que essa língua afiada não.
Kyuhyun sorriu igualmente.
- Porque foges à pergunta? Sabes que podes confiar em mim.
- Sei? Nós já não sabemos nada um sobre o outro.
Kyuhyun suspirou retirando as mãos do seu queixou e poisou o indicador no mindinho de Sungmin que estava em cima da mesa, pressionando com força. Não magoaria qualquer pessoa, no entanto o rapaz sibilou chocado, retirando a mão de imediato e queixando-se da dor.
- Estás parvo?!
- Verão dos meus 16 anos. Andávamos armados em parvos, para não variar, quando ficaste com a mão presa naquelas roldanas do moinho velho. Foi o maior susto da nossa vida… Partiste vários ossos e felizmente que a minha mãe não estava a trabalhar por isso fomos logo para o hospital. – Sungmin agarrou o seu dedo, os olhos preso em Kyuhyun. Este sorriu baixando o olhar. - Nunca te tinha visto sofrer tanto e foi a primeira vez que chorei por alguém… Lembro-me de rezar para que não te cortassem a mão. Felizmente tudo correu bem e recuperaste perfeitamente. - O mais novo prendeu o seu olhar em Sungmin uma vez mais e apontou para o dedo na sua mão. - Bom, tirando o dedo mindinho que nunca recuperou totalmente. Claro que eu sou a única pessoa a saber isso para além dos teus pais. Nunca gostaste de te mostrar fraco perante os outros. Odiavas que te vissem como uma menina. E como vês, o dedo não mudou passado estes 5 anos…
Sungmin sorriu poisando as mãos no colo.
- Muitas outras coisas mudaram.
- Como o quê? O facto de estares a trabalhar num bordel? Porque não queres falar sobre isso?
- É complicado.
- O que aconteceu ao teu sonho de ser escritor?
- Não o perdi! Apenas nem toda a gente tem pais que lhe paguem a universidade em Seoul. – Sungmin olhou o mais velho acusador. – Pensei que fosse mais fácil… Alcançar o meu sonho, sabes? Mas as coisas não correram bem como planeei e precisava de dinheiro… Não quero voltar para casa… Não quero desistir.
- Deixa-me ler o teu livro. – Kyuhyun pediu com sinceridade.
- Kyuhyun…
- Pára de ser casmurro. Eu sei que não queres que o leia e queres fazer isto sozinho mas eu sou editor agora. Trabalho na secção da primeira verificação e escolha de novos autores... Eu juro que vou ser o mais profissional possível.
- Tu prometeste.
- Tu fizeste-me prometer. Tal como te fiz prometer que o acabavas e ele ia estar nas prateleiras das livrarias.
- E eu vou cumprir! Mas preciso de comer. Preciso de trabalhar… Existem prioridades.
- Muitas das vezes os rascunhos enviados nem são lidos. São imensos. Eu prometo que não leio. Dou-o a um amigo meu para ler, ele é o melhor do meu departamento, até tem um escritório só para ele. Todos os livros mais promissores vão ter às mãos dele e se o teu for ter às mãos dele… Não à forma de ele não ler.
- Kyuhyun, eu disse que não queria a tua ajuda.
- Não te estou a ajudar, estou a fazer o meu trabalho.
- Eu não sei…
- Mas eu sei. Ter um livro publicado tem muito a ver com sorte. Eu quero que o teu livro não seja publicado por sorte mas sim porque alguém responsável acha que ele merece ser publicado.
Sungmin olhou o moreno por alguns momentos mas acabou por sorrir e poisar as suas mãos por cima das de Kyuhyun.
- Sabes sempre como me convencer, não sabes?
- Eu conheço-te. Mesmo depois de 5 anos.
Sungmin abanou a cabeça. Não. Kyuhyun já não conhecia nada sobre ele mas o moreno era demasiado especial para si e não podia haver melhor luz na sua vida do que tê-lo à sua frente.
- Obrigado.
Kyuhyun sorriu e apertou as mãos do pequeno nas suas.
- Então e estás com alguém? – um sorriso travesso.
- Directo como sempre. – Sungmin frisou a verdade. Kyuhyun riu-se.
- Não me respondeste.
O corvo engoliu em seco lembrando as palavras de Donghae.
Não podia ter medo. Não era como ele se fosse apaixonar estupidamente pelo moreno uma vez mais, como nos tempos de escola, certo? E ele sabia que queria estar com Kyuhyun. Que tinha saudades do seu toque.
- Não estou com ninguém.
- Isso é mentira.
- Porquê? – Sungmin apoquentou-se.
- Porque eu estou aqui. – o moreno fitou Sungmin intensamente. Aquele olhar fogoso que deixava qualquer pessoa fora de si.

***


- Kyuhyun… - O rapaz gemeu agarrando o cabelo do moreno enquanto este atacava o seu pescoço, fechando a porta do apartamento com o seu corpo. Os dois perderam-se em beijos e toques contra a porta de entrada. Desejo e sentimento misturados por entre o reaprender sem grandes dificuldades de se tocarem a ambos.
Os dois tinham sido vizinhos desde novos e namorado durante 3 anos desde os 15 anos de Kyuhyun até este partir para a faculdade. Aprenderam muita coisa na companhia um do outro, incluindo aprender a amar. Aprender a tocar… A beijar… Todas as primeiras vezes tinham sido na companhia um do outro. Havia apenas um corpo que eles conheciam melhor do que o próprio. O corpo do parceiro à sua frente naquele momento.
- Tive saudades… - Sungmin sorriu contra os lábios do amante.
- Também eu, Minnie… Também eu…
E os dois beijaram-se de novo, empurrões e umas decorações caídas pelo caminho até à cama. Sungmin queria fechar ao máximo os seus sentimentos e desejar apenas Kyuhyun mas havia tanto implícito em cada toque do mais novo... Tantas memórias.
Não, ele não se podia apaixonar. Ele adorava sexo e Kyuhyun era perfeito para isso para além de ser um grande amigo, apenas isso.
Não se podia iludir. Não havia forma de ficarem juntos enquanto ele tivesse aquele emprego. Enquanto tivesse de mentir constantemente ao moreno.
Desculpa…


***

Donghae entrou dentro do conhecido bar. As luzes claras estavam ainda acesas, a porta da frente fechada e as mesas vazias. Os empregados e prostitutos estavam espalhados pelo bar, preparando o balcão e mesas ou retocando maquilhagens e conversando. Passara-se uma semana deste que Sungmin lhe devolvera o casaco. Pelos vistos a noite tinha sido perfeita e acabado no apartamento do antigo namorado. O ruivo reprimiu-se com o pensamento. Não conseguia perceber como é que alguém com um emprego daqueles ainda tinha esse tipo de envolvimento por fora. Não percebia nada de relações e sentimentos mas tinha a sensação que seria uma falta de respeito pelo parceiro. Mas acima de tudo, o ruivo estava apenas cansado de sexo. Se pudesse sair deste mundo, provavelmente ficaria afastado desse lado humano para o resto da sua vida.
Os seus pensamentos foram interrompidos por um rapaz mais baixo que ele de cabelos platinados que começara a exercer à pouco tempo e Donghae ainda não decorara o nome.
- Haenim, a umma quer ver-te. Está no escritório à tua espera.
- Oh… Sabes o que quer?
- Não. Mas veio um rapaz cá ao bordel e entrou no escritório à algum tempo. Não o vi sair… Não é de cá por isso não sei… Será um novo recruta?
- Não acredito, a umma não está a aceitar gente de momento. Bom, obrigado. – o ruivo agradeceu e afastou-se em direcção ao escritório do patrão onde bateu à porta.
Depois de receber sinal para entrar, Donghae avançou para dentro do escritório com um ar altivo e desconfiado. Mascou a sua pastilha de morango observando as pessoas presentes. Com Teuk estava um rapaz moreno alto e com uma aparência invejável e junto a ele devia estar o seu segurança. O homem fitou-o com um sorriso sinistro levando-o a arquear uma sobrancelha. De onde é que ele… Oh. Ele conhecia o moreno. Era o filho da mãe que o tinha pedido na semana passada e que lhe dera cabe da noite.
- Mandaste-me chamar, umma?
- Sim, Haenim. Entra. – Teuk chamou entrelaçando os dedos à frente da cara. – Quero apresentar-te Choi Siwon. Vais… Começar a trabalhar para ele.
Donghae arregalou os olhos, fitando os dois, visivelmente confuso.
- Desculpa? Como assim?
- O Siwon pagou uma fortuna para ter exclusividade sobre ti. Irás trabalhar apenas para ele.
- O quê?!
- Não precisas de trabalhar mais no bar. Siwon terá exclusividade sobre ti.
-O quê?! – o ruivo repetiu olhando o patrão indignado. – Estás a brincar!
- Sei que te custa e te magoa atender tanto cliente variado. Pensei que quisesses algo assim.
- E perder a minha liberdade? Não obrigado! Tu sabes o que passei, umma. Não me podes obrigar a pertencer a alguém de novo!
- O dinheiro que ele pagou cobre trabalho teu aqui durante 4 anos… Desculpa miúdo mas tenho uma casa para sustentar. Daqui até essa altura nunca se sabe o que podes decidir ou se ainda estarás activo…
- Pensei que te importasses comigo.
- Eu importo, miúdo. Choi Siwon é um empresário respeitado.
- Que quer uma puta em casa. O que se passa? Não consegue conquistar corações com as suas tendências estranhas? – Donghae desafiou o moreno que o olhou sereno. O mais velho suspirou.
- Siwon é um homem com estatuto e aparência. Preferes 4 anos de tormento com clientes desagraveis para poderes visitar o teu apartamento a trabalhares para ele? Sinto-me honrado, miúdo, mas não te compreendo. – Teuk remexeu-se na cadeira. Donghae suspirou.
- Por favor. Deixe-me continuar a trabalhar aqui…
- Haenim…
- Ficaria bastante agradecido que trabalhasses para mim. Paguei bastante pela tua companhia. Prometo que terás todo o conforto e mordomias desejadas. – Siwon olhou-o, falando pela primeira vez.
- Vá enfiar as suas mordomias no-
Leeteuk bateu com a mão no tampo da mesa.
- Basta! Donghae, irás trabalhar para Choi. O contracto está assinado, temo que não há nada que possa fazer por ti. És o meu melhor… Mas não posso arriscar perder um bom negócio. – Leeteuk levou os dedos às têmporas, massajando-as. Donghae engoliu em seco. A umma tinha usado o seu nome verdadeiro o que era sinal de duplo sarilho. Primeiro, Teuk estava mesmo por um fio de perder a paciência. E segundo, Siwon passara a saber o seu nome.
- Mas-
- Chega. Deixas-me envergonhado com essa atitude. Esperava mais de ti, miúdo.
Donghae baixou o olhar. Também ele esperava mais. Esperava que finalmente aqui começasse a ser visto como uma pessoa e não um objecto. Obviamente que se enganara e cegara como de todas as outras vezes.



Continua...


Uh... Tanta conversa misteriosa em volta do livro do Min... ~~
Eheh, eu gosto mesmo de escrever estes dois. Não era suposto haver tanto Kyumin quando pensei nesta fic mas não consigo resistir a dar mais importância a estas personagens ^^
E OMO, o Donghae foi vendido ao Siwon! E agora? O que irá acontecer??

Comentem ou nunca vão saber...




And now I'm off to go read the fics que ainda não li aqui no forum! Bye~
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://twitter.com/kimurapd
Cho MinTae
Moderadora do Blog
avatar

Mensagens : 1128
Data de inscrição : 23/06/2010
Idade : 26
Localização : South Korea

MensagemAssunto: Re: [Suju] Slutty Me (eunsihae/kyumin)   Seg Fev 06, 2012 3:24 am

OHMYGODGLDLGLDLSLGKLFDLDLGÇSÇF!!! *incoeherent much*
A sério, a fucking sério (WTF) I just ~!!! GAHH!
Não sabes a vontade que eu tinha de ler uma cena KyuMin assim, principalmente em português! Porque é tão raro encontrar fics que prestem em português e eu já estou um bocado farta de só ler inglês, inglês inglês e, embora eu goste de inglês, nada me tira a escrita em português. Eu adoro ler em português, é a minha língua e conheço-a de olhos fechados, e ela também tem a sua riqueza. E a forma como tu escreves e abordas a nossa língua é... simplesmente maravilhosa!
Eu tenho notado que, desde que comecei a ler as tuas fics (em 2010, onde é que já vai) até agora, a tua escrita só tem vindo a melhorar, está mais enriquecida, os jogos de palavras, as descrições, as comparações, a abordagem ao interior das personagens ~ just WOAH!
Eu amo esta fic de coração, a princípio pensei que isto era mais só para o "perv on SuJu boys" mas adoro o facto de explorares mais das personagens, o passado deles, como foi o caso da cena KyuMin *-*
Holy sweet Shisus! Eu nem sei o que comentar disto, help me!
É que a forma como a cena está escrita está awesome ~ os diálogos aprofundados, o detalhe do Kyu se lembrar da história de infância quando o Min magoou o dedo e ele a dizer que foi a primeira vez que chorou por alguém foi tão cute e ele agora quer ajudar o Minnie a publicar o livro and hldfdslflglgkskskfkgdls!!!!
A sério, eu tenho de aprender a me controlar! *apanha* Mas o meu coração de KyuMin hard shipper não me dá descanso e quando leio coisas assim, aish! Mianhae ^^''
Depois, isto anda aqui muito mistério!
Porque raios quer o Siwon o Hae para ele?
E o Teuk perdeu um pedaço da minha consideração aqui! Ele foi um bocado insensível e mau! Vender o Hae assim? Ele é uma pessoa e não a porcaria de um objecto! As pessoas não têm preço!!!! Bad Teuk --'
Isto não vai correr bem! Neutral

Oh yeah! Como deves calcular eu fico imensamente feliz por dares mais importância a KyuMin na fic ~ E as personagens deles são interessantes e têm muita história por onde possas pegar ~
E eu juro que me calo já antes me me batam! Sorry por ser delusional XD

More, me wants more and more ~
RÁPIDO ~
I love this <3


Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://chomintae.tumblr.com/
kim
Moderadora Gráfica
avatar

Mensagens : 737
Data de inscrição : 05/07/2010
Idade : 25
Localização : Coimbra (devia ser seoul -.-)

MensagemAssunto: Re: [Suju] Slutty Me (eunsihae/kyumin)   Seg Fev 06, 2012 4:13 am

Jsdjsdisdolsmdd!!!
Não tenhas problemas em ser fangirl e deitar tudo cá para fora nos teus comentários!
Posts grandes merecem comentários grandes right? Right? Cool
Eu amo os teus comentários grandes do fundinho do meu coração, a sério. Coração esse que não foi aquecido com este comentário…
Está a arder!
A sério, Min, obrigada por todas as palavras de apoio e a crítica aprofundada, sabe mesmo bem ouvir tais palavras porque eu também dei bastante de mim para deixar esta fic bem trabalhada e quero ouvir a vossa honesta opinião a todos os níveis que indicaste.
E na verdade quando eu pus esta fic com o aviso de envolvimento sexual e a cotei como mais de 18 anos não é mesmo pelo smut e perversão. É pela problemática da cotação sexual na fic visto abordar a prostituição e esse ser um assunto muito sensível e dramático. A minha ideia para esta fic é mesmo aprofundar as personagens e a história em si para abordar assuntos variados tendo como principais o abuso de direitos humanos e a homossexualidade.
Apesar de ter começado também naquela de “eheh donghae slut = cena mais hot de sempre!!” não é essa ideia da fic xD
Quero mesmo tornar esta fic em algo dramático, profundo e bonito de que tenha orgulho e asljfdafsld tenho tantas ideias para isto, acho que não vou conseguir por todas e tenho bué medo de acabar em fail e não conseguir interligar as cenas para não haver assuntos trazidos à baila por coincidência e pontas soltas mas não é fácil escrever e tu sabes xD
Mas são comentários como os teus que me fazem querer dar o melhor de mim!
A SÉRIO ESTE COMENTÁRIO!!!
OMG I LOVE SO DAMN MUCH!
E yaaa, tu tens visto de perto o meu evoluir da escrita xD Eu acho que todas nós crescemos bastante a escrever para o fórum ^^ abençoado fórum xD
Enfim, só por causa disto, amanhã posto outro capitulo *_*
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://twitter.com/kimurapd
Cho MinTae
Moderadora do Blog
avatar

Mensagens : 1128
Data de inscrição : 23/06/2010
Idade : 26
Localização : South Korea

MensagemAssunto: Re: [Suju] Slutty Me (eunsihae/kyumin)   Seg Fev 06, 2012 8:38 pm

Epá, adoro mesmo esta liberdade toda para ser fangirl o quanto quiser XD
Mas é com fics assim que eu preciso mesmo de fazer um spazz imenso porque está mesmo brutal e puxa por mim! É tão bom estar a ler e estar a viver ali as histórias das personagens, é tão bom quando parece que eu posso sentir na minha pele os dramas das personagens! E esta fic é isso, puxa por mim enquanto leitora, adoro isso!
E depois eu sei, enquanto escritora também, o quão é bom receber comentários assim grandes e cheios de spazz, é sinal que o que queríamos transmitir com a escrita chegou ao leitor ~ Críticas construtivas só ajudam um escritor a crescer e a melhorar ~
Enfim, já estou no testamento outra vez XD
Pá, eu tenho mesmo um óptimo feeling com esta fic ~ e quando tu dizes que vais deixar isto dramático, abordar esses temas todos eu ainda fico mais ansiosa! *-*
Abençoado fórum que nos tem ajudado a ir melhorando a nossa escrita ^^
E ainda bem que o meu spazz valeu um novo capítulo rapidinho ~^^
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://chomintae.tumblr.com/
kim
Moderadora Gráfica
avatar

Mensagens : 737
Data de inscrição : 05/07/2010
Idade : 25
Localização : Coimbra (devia ser seoul -.-)

MensagemAssunto: Re: [Suju] Slutty Me (eunsihae/kyumin)   Sab Fev 11, 2012 10:11 pm

Eu na segunda - aaahh amanhã posto um capitulo novo *-*
Terça - *Sem internet*
E foi assim a minha semana... Anyway, agora consegui um pouco de net e aproveito para postar um novo capitulo ^^
As coisas vão aquecer Very Happy

Slutty Me - Capítulo 3


Assim que as portas da mansão de Choi Siwon se fecharam, o moreno perdeu o ar delicado e simpático que mostrava em público. Mostrava a mesma faceta que mostrara a Donghae quando fora seu cliente: Fria e egoísta.
Dois seguranças escoltavam Donghae a dois metros de distância sempre milimetricamente mesurados quando entraram na sala principal. Siwon deixou cair o casaco nas costas de uma cadeira e alargou o nó da gravata.
- Donghae, Donghae… Não precisas de estar tão tenso. Afinal de contas esta é a tua nova casa.
- Não me chame por esse nome!
- Porque não? Preferes o teu nome de prostituto?
- Sim. Ou não é isso que sou para si? – Donghae sorriu enviesado. Aquele sorriso que deixava qualquer pessoa louca, incluindo Siwon. Infelizmente, Donghae esquecera-se de não usar as suas armas de sedução mesmo sem querer. Antes que pudesse reagir, Siwon agarrara-o pelo braço e colara os seus lábios aos dele. O rapaz não lutou contra a intrusão da língua do mais velho. Estava mais que habituado a ser “violado” por toques que não desejava.
- A tua beleza é única. – o mais velho passou dois dedos pela bochecha de Donghae que manteve o seu olhar preso no chão.
- Quando é que eu posso ir para casa? Quais são os meus horários?
- Não tens horários.
Donghae fitou-o, confuso com a resposta tão recta e directa.
- Mas os…
- Ficarás a viver nesta casa sempre. Sairás quando me apetecer e sempre acompanhado. Não penses que consegues fugir às tuas obrigações.
- Mas que raio é que você pensa que é?! – Donghae afastou-se irritado.
- Eu? Sou o teu novo patrão… O teu novo dono.
- Você não é meu dono. Não pense que alinho neste esquema.
- E o que pensas fazer? Sair porta fora?
- Porque não? Vai-me impedir?
- Paguei por ti, lindo. Quer queiras, quer não… Tens uma dívida muito grande para comigo. És a minha “puta” agora.
- Vá-se foder! Eu estou fora disto! Vou convencer a umma a acabar com este contracto! – Donghae virou costas mas os dois seguranças seguraram-no ao sinal de Siwon, dando-lhe um murro no estômago. O rapaz gemeu de dor quando o seu corpo fraquejou com a pancada mas os seguranças não o deixaram cair, agarrando-o e virando-o na direcção do patrão. Siwon sorriu-lhe agarrando-o pelos cabelos para o obrigar a encara-lo.
- Já percebeste a ideia? Não vais sair daqui sem eu dar ordem. Agora… Vais ser uma putinha obediente… E vais portar-te como deve ser. Assim escusamos de nos chatear.
- Vá-se foder… - o ruivo gemeu e sentiu o lábio cortar-se quando as costas da mão de Siwon voaram contra a sua cara sem remorsos. O moreno ajeitou as madeixas ruivas de Donghae com um ar tranquilo. No entanto, conseguia-se distinguir um traço de loucura.
- Não, estás errado. Tu és quem vai ter esse prazer. – o moreno ergueu o corpo arranjando o seu próprio cabelo. – Tirem-mo da frente.
Os homens arrastaram Donghae até este os sacudir, mostrando que conseguia andar perfeitamente. No entanto ainda lhe doía o lábio e os abdominais. O cabrão do segurança que lhe batera tinha o dobro do seu tamanho e ele tinha a certeza que mesmo batendo de meiguinho, o desgraçado não conseguia deixar a vítima ficar em pé. Depois de ser atirado para dentro de um quarto em tons bege, o ruivo ficou finalmente sozinho. Pontapeou uns móveis antes de se deixar cair na enorme cama.
Estava farto de ser sempre o objecto de alguém!
Toda a gente podia concordar que ser o brinquedo de apenas uma criança podia ser melhor que ser um brinquedo qualquer num infantário. Mas tendo em conta que nos infantários os brinquedos tinham ordens rígidas para não serem partidos e a criança sozinha era terrorista e não tinha nenhuma mãe para a impedir… Sim, ele preferia ser usado por muitos. E era essa a pintura neste caso. Donghae sabia bem que Siwon tinha uma mente doentia. Percebera quando estivera com ele que o moreno desejara fazer-lhe mil e uma coisas mais que não eram permitidas no bordel. E agora ia faze-las a todas se o ruivo não saísse dali.
A porta do quarto abriu-se de repente, assustando Donghae. Siwon sorriu-lhe sacana da entrada e fechou a porta.
- Assustei-te? Estavas a planear fugir?
- Como poderia? Tenho a certeza que tem três gorilas na porta e nas janelas do quarto.
Siwon riu-se.
- Gostas do quarto?
- Encantador. – o tom de Donghae não foi de todo agradado.
- É melhor que a cave. A tua nova casa se continuas a ser mal-educado.
- Pensava que esta atitude era mais o seu estilo. Consigo ver que o excita quando o pico. – Donghae provocou. Siwon sorriu.
- Pensas que sabes ler as pessoas?
- Sexualmente. Sei, sem dúvida.
- Então o que é que eu quero?
- Essa qualquer um responde. Foder-me, obviamente. Não estaria aqui por se preocupar comigo.
- Porque me tratas com formalidades?
- Porque não sinto qualquer proximidade por você. – atirou com rancor, não conseguindo controlar-se.
Siwon riu-se. No entanto, Donghae percebia que ele não gostara minimamente da afirmação. O mais velho aproximou-se e agarrou em Donghae, obrigando-o a levantar-se da cama.
- Vamos acertar uns pontos… Tu és meu agora. Por isso vais-me tratar com respeito e devoção. Sempre que mostrares ódio, fores mal-educado ou me desagradares serás castigado. E não vais gostar.
Donghae sabia perfeitamente que não ia gostar. Já tivera os seus anos de castigos por mau comportamento e nunca gostara.
- Porquê eu? – O ruivo abanou a cabeça, olhando-o confuso. Siwon sorriu doentio.
- Porquê tu? Porque foste aquele que eu quis… E adivinha a minha sorte. Um reles prostituto… Tão fácil de obter. Por um lado enojas-me pelo teu passado, mas por outro a tua experiência sem dúvida pode entreter-me.
Donghae acenou com a cabeça, compreendendo. Estava demasiado habituado a este mundo para perceber que estas pessoas precisavam de pequenos escravos para se sentirem mais poderosos. Não se tratava de necessidade ou atenção pois pessoas assim tinham os sentimentos perdidos algures na ganância e loucura. Era apenas pela luxúria. Pelo sabor que o poder tinha. Mais saboroso ainda era ter um rapaz como escravo pois as raparigas eram demasiado frágeis por si próprias. Não havia nada de poderoso em escravizar uma mulher. Mas escravizar um homem era outra coisa nestas mentes doentias.
Siwon tinha atingido o seu objectivo. O prostituto mais cobiçado da cidade era agora apenas seu para seu bel-prazer.
Que cliché…
Como ele gostava de poder ter outro poder. Poder ter tido outra vida. Queria tanto ver-se livre deste tormento. Passar por tais caras sem qualquer conhecimento dos seus podres ou estar acima deles, podendo cuspir-lhes na cara e mata-los a todos pois era o que mereciam.
Em vez disso, passaria a noite a gritar e a gemer o nome do homem que odiava, pedindo por mais e tentando cansa-lo o mais depressa possível. Tinha de o estoirar para que quando caísse na cama dormisse que nem uma criança e só acordasse quando explodisse uma bomba no quarto. Era a única maneira de ter uma hipótese.
Para sua sorte o moreno adormecera na sua cama, exausto. Obviamente que Donghae estava também em mau estado mas a sua preparação física era muito melhor que a do moreninho. Estava mais que habituado a trabalhar noite fora, cliente por cliente. Não eram meia dúzia de cambalhotas das duras que o iam impedir de seguir com o seu plano para a frente.
Não tinha nada de mais. Simples, directo e fácil de lembrar. Só tinha de sair da mansão. A esta hora, estaria toda a gente a dormir e como tal não custaria nada. Quanto mais naturalmente agisse mais facilmente cumpriria o plano.
Vestiu a roupa que trouxera na casa de banho e, depois de pedir emprestado algum dinheiro da carteira do dono da casa para um táxi, o rapaz saiu do quarto sem fazer barulho, lembrando o caminho de volta à porta de saída que decorara anteriormente. A casa era enorme mas de arquitectura básica. Não que ele percebesse de arquitectura mas estava habituado a visitar mansões de alguns clientes e os ricos eram todos iguais.
Desceu a escadaria rapidamente com os seus típicos pezinhos de algodão, os quais a tapeçaria cara e peluda ajudava bastante e alcançou a porta de saída. Demasiado fácil. Era arrepiante mas mesmo assim acontecia na realidade.
Ultrapassou o jardim e uma presença estranha fê-lo abrandar olhando para trás. Ouvia um som estranho de uma respiração mas não era de todo humana. Se era então tratava-se da respiração mais estranha e assustadora de sempre. O rapaz quis parar mas obviamente que isso era estupidez, estava já perto do portão de saída por isso acelerou o passo para uma corrida.
Momento de acção. Momento de arrependimento. Mau movimento, mau movimento! Era obvio que a respiração não era humana! Era um cão por amor de deus! Um rottweiler puro que agora corria na sua direcção para o apanhar. Ou melhor, dois rottweilers!
- Fodasse! Fodasse!
Assim que os cães começaram a latir rapidamente focos de luzes pelo jardim ofuscaram-lhe a vista e um som de alarme fez-se ouvir dentro de casa. Donghae saltou por cima de uma arbusto agarrando um pau e virando-se para atacar o animal - antes que ele o ferrasse - com uma pancada na cabeça que o fez ganir e afastar-se.
- Mas que merda há de errado com estas pessoas?! Fodasse, isto é quê? Uma central de nazis?! – o ruivo gritou irritado, correndo o mais depressa que pode para que o cão não o alcançasse. No entanto era impossível lutar contra tal fera e antes que ele pudesse alcançar o portão já o animal o tinha atirado ao chão cravando-lhe uma perna.
Donghae gemeu e gritou de dor, pontapeando a criatura que nem por isso o largou até dois seguranças o terem nos braços, pálido e mal disposto do ataque. Estava a deitar sangue. Perfeito.
- Sorte a tua que os meus cães foram treinados para causar ferimentos ligeiros apenas. – A voz de Siwon soou enquanto ele avançava pelo jardim, apertando o seu roupão. – E sabes que mais eles apreenderam esta última semana? A não te deixar passar do portão.
Donghae fitou-o irritado ainda preso ao chão pelos seguranças.
- A noite em que foste ao bar… Eu sabia que tinhas levado a minha camisola!
- Para um inculto até és inteligente…
- Não me vais conseguir manter aqui!
- Sabes… Uma das razões porque me atraíste foi por isso mesmo. Sei que és difícil de domar… E eu adoro desafios. –O moreno sorriu-lhe antes de fitar os seguranças. - Levem-no para a cave. – Siwon fez uma pausa olhando á volta. - E voltem todos para a cama!
Chamou os dois cães, analisando o aranhão que o mais novo tinha na cara. Suspirou com um sorriso afagando o pelo dos animais.
- Parece que o castigo vai ser a dobrar.

Continua...

Então~ o que acham do novo lar acolhedor do Donghae?


eheheh, digam-me o que acham do rumo da história e tal e blah blah blah :p
bye~

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://twitter.com/kimurapd
MiyaHaru
FanFiction Maniac
avatar

Mensagens : 511
Data de inscrição : 21/07/2010
Idade : 27
Localização : Porto. Portugal

MensagemAssunto: Re: [Suju] Slutty Me (eunsihae/kyumin)   Seg Fev 13, 2012 10:16 am

Altamente KIM!!

Adoro os cenários que fazes e a forma como os explicas!
Também acho que o desenvolvimento da história está espectacular!
O Hae está demasiado apetitoso nesta fic Twisted Evil
O Kyu é mesmo sacana XD adorei a conversa dele e do Eunhyuk! LOL! Está muito bem escrito KIM!!

Mas tadinho do meu Hae Sad O Siwon é um monstro!! Aish Lee Hyukjae!! Salva-o!!!
E Umma!! como foste capaz de vender o teu filho?!?! Aish por causa do dinheiro? Evil or Very Mad

Amei Kyumin!! A cena do restaurante foi tão fofa quando o Kyuhyun se lembrou do ferimento dele! Adorei!!


Continua dongsaeng ^.^
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Cho MinTae
Moderadora do Blog
avatar

Mensagens : 1128
Data de inscrição : 23/06/2010
Idade : 26
Localização : South Korea

MensagemAssunto: Re: [Suju] Slutty Me (eunsihae/kyumin)   Sex Fev 17, 2012 1:03 am

The fuck is this? Porra, só me apetece falar mal! E insultar o Siwon. Ele não é um homem. Ele é uma besta! Que grande filho da mãe!
Aish, não imaginas a raiva que eu tenho dele agora!
Eu não consigo fazer um spazz grande e um comentário decente hoje, a personalidade do Siwon meteu-me um nojo de todo o tamanho. 'Dasse, que raiva!
A atitude dele irrita-me mesmo e a arrogância! Aish ~
E a cena dos cães! Eles podiam ter magoado o Hae a sério, mesmo sendo treinados para não morder muito esses cães não são de confiança, e se lhes desse um ataque de raiva, eles agem por instinto e... aish, filho da mãe!
Coitado do Hae! Ele tem de sair dali rápido, mas algo me diz que ele ainda vai sofrer bastante nas mãos do Siwon, que sacana filho da mãe! Neutral
Tu continua-me isto rápido, eu vou desesperar de preocupação!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://chomintae.tumblr.com/
Cat
Novo Membro
avatar

Mensagens : 9
Data de inscrição : 13/11/2011
Idade : 25
Localização : Porto

MensagemAssunto: Re: [Suju] Slutty Me (eunsihae/kyumin)   Qui Fev 23, 2012 10:36 pm

Aish ~ finally tive tempo para ler *_*

KIM THIS IS SO DAMN AWESOME ~~!

O Siwon é um filho da mae desgraçado! Poor fishy Mad Irrita-me tanto, todo arrogante, acha-se o melhor e tal ! Havia de lhe correr mal tudo Evil or Very Mad

E aquela cena dos caes ! Aish ~ alguem que salve o Hae! RAPIDOO ~ Nem me acredito que a umma o vendeu por dinheiro ;_;

O Siwon precisa mesmo de aprender uma lição! Nao se trata ninguem assim ! O Hae vai ter que se vingar dele! Que raiva!!

Tou mortinha por ler a continuação disto *-*

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
kim
Moderadora Gráfica
avatar

Mensagens : 737
Data de inscrição : 05/07/2010
Idade : 25
Localização : Coimbra (devia ser seoul -.-)

MensagemAssunto: Re: [Suju] Slutty Me (eunsihae/kyumin)   Sex Fev 24, 2012 9:30 pm

Hello meninas~!!
Sorry pela demoraa. Não tenho net em casa e não tenho forma de postar T_T
Txei, tanto odio pelo Siwon. hehe, ainda bem porque eu quero que vocês o odeiem muito eheheh
Eu tenho uma grande panca por slutty Donghae e Bastard Siwon OMO <33

Anyway! Hope you enjoy the new cap!

(Desculpem qualquer erro que não me dei ao trabalho de betar devidamente este cap TAT)


Slutty Me - Capítulo 4


- Como é que pode estar aqui assim, e nem sequer pensar em fazer nada?! Ao fim de tantos a trabalhar para ele de certo que já ouviu isto mais que uma vez. Mais vezes do que eu! Como consegue?! – a jovem criada olhou a senhora de meia idade com má cara.
- Não podemos interferir na vida do menino. Mete-te na tua vida. – ordenou a mulher a esforço pois sentia o coração apertado. Sabia que quem tentasse ou tentara impedir o menino, nunca acabara minimamente em boas condições. Era a atitude certa para quem quisesse destruir a própria vida.
Mais um grito desesperado fez-se ouvir pela casa e a jovem rapariga de longos cabelos negros atirou com o pano ao chão, a raiva levando-a a gritar também e correu para a cozinha.
Donghae arfou tentando manter-se acordado. Sabia que se desmaiasse ia ser obrigado a despertar por um balde de água fria na cara e sinceramente essa sensação era ainda pior que toda a tortura.
O seu corpo estava amarrado a uma cadeira, as mãos presas aos apoios laterais da mesma. No entanto o ruivo já nem sentia as amarras. Siwon era inteligente, concentrando o castigo em zonas que não se notasse que o rapaz fora mal tratado e que não o impedisse de continuar a ser abusado sexualmente. O castigo começara portanto pelas unhas das mãos.
Donghae já fora castigado severamente no passado. No entanto nunca fora torturado. Não conseguia encontrar nenhum sentimento parecido e o interrogador ainda só se tinha limitado a usar um instrumento estranho que se enfiava debaixo das unhas e criava uma dor absurda. Não arrancava as unhas mas sem dúvida que feria a carne viva e sensível por debaixo destas e a dor era insuportável.
Siwon colocou uma mão no ombro do seu interrogador, contratado para fazer tais trabalhos sujos e este afastou-se para ir lavar os instrumentos. O moreno aproveitou para se agachar à frente do seu escravo.
- Então… Arrependido?
Donghae acenou afirmativamente com a cabeça em desespero, fazendo o mais velho sorrir.
- Estás preparado para ser um cachorrinho obediente? – Siwon olhou-o atentamente. Donghae acenou furiosamente uma vez mais. Não que estivesse mas tinha de ser inteligente. – Muito bem. – o mais velho levantou-se fazendo sinal ao interrogador que estavam acabados. – Hoje ficas aqui a pensar no que fizeste. – foi a única coisa que Siwon disse antes de se preparar para sair. Donghae olhou-o em pânico. Já estava ali à horas sem comer nem beber e ser torturado por aquela dor insuportável. Não queria ficar ali mais tempo, odiava aquele sítio. Odiava ser acorrentado como um cão.
- Não! Espere! Não me deixe aqui, eu prometo que me porto bem! – o rapaz gritou mas Siwon não quis saber, fechando a porta daquela pequena secção de tortura na cave. Estava demasiado escuro ali dentro e frio. Sentia o sangue ainda a escorrer pela ponta dos seus dedos e pela perna e o seu coração estoirar no peito, pedindo por conforto e tratamento médico. No entanto ia ter de ficar ali não sabia quantas horas mais a sofrer até que o seu dono se lembrasse do brinquedo favorito. Felizmente o cansaço era tanto como a dor e rapidamente o ruivo adormeceu.


Uma luz repentina fê-lo acordar estremunhado. Donghae olhou à volta, confuso. Esperava que a luz viesse da porta da cave e que as dores absurdas voltassem mas em vez disso, a luz repentina viera da janela, onde o estore tinha sido aberto. O espaço à sua volta era claro e confortável, repleto de tons bege e não sentia qualquer dor atormentar o seu corpo.
Estava de volta ao quarto bege que lhe fora destinado. Os lençóis lavados e suaves. As unhas enfaixadas tal como o seu tornozelo. E a falta de dores deviam-se de certo à embalagem de comprimidos na mesa-de-cabeceira. Uma rapariga de longos cabelos negros sorriu-lhe. O olhar repleto de pena. Donghae odiava tais olhares. Significavam que a sua vida era tão triste que provocava pena nas pessoas mais simples.
- Deseja alguma coisa? – A jovem questionou. - Deixei aqui um lanche para quando quiser comer. – Fez um gesto para o retocador ao seu lado.
- Quando é que me trouxeram para aqui?
- Por volta do meio-dia. Quando o patrão voltou do emprego para almoçar.
- O patrão vem a casa almoçar. – desdenhou o ruivo. A rapariga engoliu em seco.
- Nem por isso. Acho que foi apenas uma desculpa para vir ver de si. O médico veio também. Trouxeram-no para cima e pensei que estivesse morto. – os olhos da morena encheram-se de lágrimas. – Mas estava apenas desmaiado. O doutor esteve algum tempo consigo aqui e depois foi embora dizendo que precisava de repouso e que acordaria em algumas horas.
Donghae acenou com a cabeça, olhando o tecto.
- Que horas são?
- Cinco da tarde.
- E o patrão?
- Ainda não voltou do emprego… - a rapariga baixou o olhar arrepiando-se. Donghae percebeu que ela temia por ele.
- Porque se preocupa comigo? – olhou-a confuso. A jovem voltou a fitá-lo, as lágrimas voltando a atacá-la.
- Eu peço imensa desculpa! Mas eu não posso perder o emprego e tenho família… A minha família precisa mesmo do dinheiro e estou em divida para com o senhor Choi. E a senhora Jung diz que é má ideia meter-nos nos assuntos do senhor mas… Mas eu não consigo aceitar isto! Você não é o primeiro, sabe? À cerca de meio ano ele trouxe um rapaz qualquer… mas esse era muito obediente. Não lhe fazia mal mas a forma como o tratava… - As lágrimas da rapariga correram o seu rosto. – Você tem de sair daqui.
- O que aconteceu a esse rapaz? – Donghae sentou-se na cama.
A rapariga arregalou os olhos escuros.
- Houveram uns problemas… Acho que ele serviu de exemplo… Não sei o que aconteceu, só ouvi o tiro no escritório. Sei que os negociantes não voltaram a exigir nada do senhor. Mas ninguém me engana! Sei bem que ele matou o rapaz a sangue frio, nunca quis saber dele… Você é diferente… A forma como ele o olha e o trata… Mas é doentio. Sei que a si não o vai querer matar, mas tenho medo do que lhe faça ao invés. – A rapariga apertou o avental e olhou a janela, atormentada.
- Como é que você se chama?
- Yoona. Im Yoona.
- Yoona… Você tem um coração como já não sabia existir. Porque não sai daqui? Você não pertence a este mundo.
- Já lhe disse, estou em divida para com o patrão.
- Pois, eu também…
- Mas você não pode ficar aqui! Tem de fugir!
- Posso contar com a sua ajuda? Prometo que não farei nada que a ponha em causa.
- Claro!
- Obrigado. – Donghae sorriu genuinamente. Não podia ficar naquela casa. Tinha de estudar a situação e tentar fugir. Yoona podia ser uma grande ajuda. A rapariga esboçou um pequeno sorriso.
- O patrão deve estar a chegar… Coma o lanche e se precisar de alguma coisa carregue no interruptor aí junto à mesa-de-cabeceira. – Yoona apontou. O ruivo olhou o interruptor na parede junto à cama. Curvou uma sobrancelha. Como era boa e insensível a vida destas pessoas. Interruptores nos quartos… Sim senhor. Perguntava-se se na sala haveria o comum sininho.
A rapariga saiu e Donghae levantou-se reparando que estava de calças de fato de treino pretas e t-shirt de cavas cinzenta. Olhou a porta sem expressão.
Perguntava-se, temendo por Yoona, se Siwon abusaria da empregada também. Mas sinceramente ele acreditava que Siwon não tivesse qualquer interesse em raparigas.
O tempo demorava a passar ali dentro mas Donghae não se deu ao trabalho de sair do quarto, ficando por ali a debicar o seu lanche, a cabeça repleta de pensamentos. A esta hora estaria a acordar depois de uma comum noite de trabalho. Em vez disso, passara a noite a ser usado por Siwon, a tentar fugir de uma prisão, a ser perseguido e mordido por cães e a ser torturado.
Mas não, para a sua umma era isto que ele queria. Era isto que era melhor para ele.
Sorriu com a ironia. Será que se Teuk imaginasse a verdade sobre Siwon faria algo por ele?
Não acreditava… Teuk gostava das pessoas… Mas gostava mais de assegurar o seu negócio.
A porta abriu-se e Donghae não se deu ao trabalho de olhá-la, não queria de todo olhar a cara do filho da puta que lhe destruíra a vida e o arrastara de novo para uma realidade que ele confiara já ter ultrapassado.
- Vejo que já acordaste. Como te sentes? – a voz fria de Siwon ecoou no quarto.
- O que lhe interessa?
Um momento de silêncio. Donghae brincou com os pauzinhos que tinha na mão, sem nunca levantar o olhar.
- Para estares a falar assim é porque já estás bem. Já percebeste o teu lugar?
O estômago do ruivo contorceu-se de raiva. “O seu lugar”… Odiava essa expressão com todas as suas forças.
- Sim. – rosnou por entre dentes. Tinha de se controlar… Não podia dar motivos ao maníaco para desconfiar dele ou tortura-lo outra vez. Era apenas um cliente… Tinha apenas de lhe agradar até ele se cansar de si.
- Muito bem. – a voz de Siwon era segura e controladora, antes de ele voltar a sair, o seu interesse pelo novo brinquedo era mínimo naquele momento.

***

Sungmin olhou o moreno à sua frente, estupefacto, enquanto ele pegava os copos de uma mesa abandonada.
- Diz-me que estás a gozar, Yesung!
- Não. O próprio Leeteuk é que me disse. O Haenim não volta a trabalhar aqui.
- Mas como é que isso é possível?!
- Já te disse que ele não adiantou grande coisa. Mas parece que um ricalhoiço o comprou por uma fortuna.
- A umma vendeu um dos seus? O seu melhor. Qual é o sentido disso?
- Quando a venda valia muito mais que anos de trabalho… O que é que tu fazias? Para além disso acho que o gajo tinha imensa influência e era todo bom rapaz… Se ele vai trabalhar só para uma pessoa não vejo porque não havia de desaparecer daqui. Sinceramente a forma como todos lhe queriam dar em cima enojava-me.
- O Do… Haenim parece uma sacana mas ele é um rapaz frágil, a umma de certo que sabe a história dele! Ele nunca quis falar do passado comigo mas eu percebi desde o inicio que este era o melhor sítio onde ele podia estar. Uma vez disse-lhe que talvez fosse melhor fazer algo desse género apenas para uma pessoa e o ar dele… Eu sei que ele ia detestar trabalhar em privado e apenas para alguém. Isto está muito mal contado.
- Bom, eu não sei. Talvez ele se tenha apaixonado e ido viver com o gajo.
Sungmin suspirou.
- Tu não conheces o Hae…
- Mas conheço-te a ti e sei que fazes sempre uma tempestade num copo de água.
- Não é uma tempestade, é a realidade! – o de cabelos negros acompanhou o mais velho até ao balcão, ignorando possíveis clientes. Yesung sorriu-lhe.
- Só não queres é que o teu amigo te abandone sem uma palavra. Olha pelos vistos ele não é tão boa pessoa assim… E nós temos de trabalhar, sabes? Podemos falar disto depois?
- Claro, eu não te incomodo mais! – atirou irritado enquanto Leeteuk entrava dentro do bar, vindo das traseiras, fato caro no corpo. Sungmin deu um salto e apressou-se a ir ter com ele.
- Umma! – o rapaz chamou. O loiro olhou-o meio distraído e sorriu-lhe.
- Como está a correr a noite, Bunny?
- Está óptima, mas umma, eu queria mesmo falar consigo…
- Algum problema? Aconteceu algo com algum cliente? – o mais velho olhou-o preocupado. Sungmin negou com a cabeça, agitado.
- Não, está tudo bem com o negócio, eu queria falar consigo sobre o Donghae.
Leeteuk olhou-o espantado. Muito pouca gente conhecia o nome verdadeiro de Donghae.
- Aconteceu algo?
- Bom, esperava que você me esclarecesse esse ponto. Era suposto ele vir trabalhar hoje. Já alguns clientes perguntaram sobre ele.
- Pois, eu não tive tempo de tratar disso… - Teuk passou uma mão pela testa. – Bom, o Donghae-shi não trabalha mais aqui.
- Como assim?
- Começou a trabalhar para um rapaz que pagou uma fortuna para ter exclusividade sobre ele. Não lhe podia dizer que não.
- E o Donghae aceitou?
- Bom… - Leeteuk hesitou, levando Sungmin a explodir.
- Eu sabia! Eu sabia que ele não concordava! A umma sabe ele não quer pertencer a ninguém! Porque fez isto?!
- Eu sei que o Donghae tem medos. Mas Choi Siwon é um rapaz de negócios muito influente que não se quer como inimigo. Para além disso era uma jogada muito má perder este negócio e o rapaz é filho de grandes famílias, tenho a certeza que o Donghae será tratado com todas as mordomias.
- Ele não queria e você tratou-o como um objecto!
- Não o tratei como um objecto mas sim com um dos meus empregados. Fiz muito por aquele rapaz por isso não fales do que não sabes. Agora tenho outros assuntos para tratar.
- O Hae atraia imensos clientes. Isto vai ser um problema.
- O Hae não é o único bom prostituto desta casa. E aquele rapaz parece estar interessado em falar contigo, vai lá atende-lo. - Leeteuk gesticulou em direcção a uma mesa com um sorriso vago. Sungmin suspirou afastando-se da umma. Leeteuk era sempre uma pessoa extremamente humana para o mundo onde se encontravam mas desta vez tinha-o espantado pela negativa… Os dois tinham uma relação tão próxima que Donghae até tratava a umma por tu, mas mesmo assim, mesmo contra a vontade do ruivo, Leeteuk tinha-o vendido. Sungmin sabia que o amigo se devia sentir como lixo mesmo que Choi Siwon fosse apenas um santo desejoso de atenção.
No entanto as palavras de Leeteuk não lhe saiam da cabeça.
“Choi Siwon é um rapaz de negócios muito influente que não se quer como inimigo.”
Teuk era alguém muito difícil de manipular e de certo que era preciso muito mais do que dinheiro para o convencer a vender alguém como Donghae. Algo lhe dizia que Siwon não era apenas um santo desejoso de atenção.

***
Hyukjae poisou o pacote de bolachas na mesa da sala, indo em direcção à porta de entrada. Quem seria a estas horas, a um Sábado?
Pela porta entrou um Heechul com uma pequena grade de cervejas na mão.
- Já que não queres sair, eu trago a noite até ti!
- É uma da manhã, Heechul… - o moreno suspirou.
- Eu sei. Mas apetecia-me estar contigo e sabia que estavas acordado.
- Não tens um encontro, ou assim?
- Não, e como o meu melhor amigo está com medo de acabar de novo num quarto de um bordel gay…
- Pára com isso. – o moreno suspirou, aborrecido, indo de novo para o sofá.
- Não sejas assim, o rapazinho com quem estiveste era perfeito!
- Não me lembro, por isso não interessa! – o mais novo irritou-se. Heechul sorriu torceiro.
- Eu acho que estás a mentir mas okay… - encolheu os ombros e sentou-se ao lado do moreno.
Hyukjae suspirou, ignorando o rapaz ao seu lado e agarrando uma garrafa do pack. A verdade é que ele não estava a mentir mesmo. Mas isso não era bom sinal. Hyukjae tinha-se embebedado naquele bordel. Tinha uma ideia vaga de muita cor, e uma voz sensual, mas era tudo muito desfocado. Mas sem dúvida tinha estado com um rapaz pelo qual se sentira bastante atraído. Mas só se lembrava de Heechul a tira-lo dum quarto desconhecido e de o deixar em sua casa. Hyukjae queria negar tais sentimentos no bordel. Era muito raro ele sentir-se atraído por um rapaz e como os amigos diziam, talvez ele fosse homofóbico quando se tratava dele próprio. Não conseguia imaginar de todo admitir-se que gostava de um rapaz. Mas os sentimentos dessa noite eram diferentes… Estava certo que sentira uma força de atracão enorme naquele bordel, algo que nunca tinha sentido por nenhum ser humano.
Mas isso era muito mau sinal. Hyukjae não queria sentir nada por um rapaz, e fora logo sentir algo por alguém num bordel.


Continua...

Okay, okay, tenham calma! Não batam muito no Siwon que eu tenho de o manter vivo para o resto da fic XDD
E finalmente a Yoona entra na história. We'll she be able to help Donghae?? ijfLDJjwd tem de comentar para saber mais eheheheh
Tell me what's in your mind~~~
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://twitter.com/kimurapd
Cat
Novo Membro
avatar

Mensagens : 9
Data de inscrição : 13/11/2011
Idade : 25
Localização : Porto

MensagemAssunto: Re: [Suju] Slutty Me (eunsihae/kyumin)   Sex Fev 24, 2012 10:25 pm

AISH ~ CHOI SIWON YOU AWFULL PERSON!!!

Tadinho do fishy e do que ele passou às maos daquele demoniaco O.O Estou mesmo com raiva ao homem!

Aquela tortura toda.. ele tem mesmo que sair dali!! A umma é a culpada! Mad

A Yoona vai ter que o ajudar a fugir rapidamente, senao nem quero pensar.. O Siwon ainda da cabo dele >< A Yoona podia era fugir com ele tambem e ficarem todos bem longe daquele antro de tortura!

Aigoo ~ E o Eun uuu *-* A força de actracção daquele dia vai ter que voltar rapido Very Happy Muitoo rapido!


Finally: THIS IS SOOOOO AWESOME *-* I'M TOTALLY IN LOVE WITH THIS <3
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Cho MinTae
Moderadora do Blog
avatar

Mensagens : 1128
Data de inscrição : 23/06/2010
Idade : 26
Localização : South Korea

MensagemAssunto: Re: [Suju] Slutty Me (eunsihae/kyumin)   Sex Fev 24, 2012 11:31 pm

Damn, eu começo o comentário com vontade de desatar a falar mal outra vez! Mas vou-me controlar XD
Bolas! O Siwon está a superar-se! Shocked whatthefuckareyoudoingtohimyousonofabitch?!!!! Que horror, eu até fiquei arrepiada só de imaginar aquela cena da tortura debaixo das unhas. Que besta, ele é um animal desgraçado e nojento, filho da mãe PQP!
Eu espero mesmo que a Yoona consiga ajudá-lo de alguma maneira... e que não se meta em problemas também, nunca se sabe o que aquele psicopata é capaz de fazer... sádico do c******~~!!!!
E depois ele ainda vem todo armado em sacana (ainda mais do que ele já é) como é que o Hae se sente? Como é que ele espera que ele se sinta? gljlhldkhkdlslfgh!!!! E um par de estalos no desgraçado??? Acho que anda a merecer!
E olha, o Leeteuk é outro que já levava um belo de um estalo naquela carinha de traidor que vende um amigo assim!
Espero que o Sungmin consiga fazer alguma coisa...
Por mais que eu esteja com vontade de mandar tudo ao ar com a raiva que sinto durante a fic (raiva boa, just for the rec) assim que aparece o Heechul é logo para desanuviar tudo Razz Eu rio-me tanto com ele. Só de imaginá-lo com uma grade de cervejas na mão XD too funny! XD
E o senhor Hyukjae anda com minhocas na cabeça por causa da noite no bordel... me likes that ^^

Give us more... fast! bounce
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://chomintae.tumblr.com/
MiyaHaru
FanFiction Maniac
avatar

Mensagens : 511
Data de inscrição : 21/07/2010
Idade : 27
Localização : Porto. Portugal

MensagemAssunto: Re: [Suju] Slutty Me (eunsihae/kyumin)   Dom Mar 18, 2012 11:24 pm

AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

I Love you!! Isto está tão awesome Kim! Tu continua me isto mulher!! Tu escreve-me mais disto!!
A minha unniezinha vai salvar o hae?! Aigo só de imaginar que o Siwon pode lhe estar a fazer mal! Mau Siwon!
Tadinho do Hae T_T
Hyukjae, onde estás tu?! Vai salvar o Hae!!

continua!!!PLEASE!!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
kim
Moderadora Gráfica
avatar

Mensagens : 737
Data de inscrição : 05/07/2010
Idade : 25
Localização : Coimbra (devia ser seoul -.-)

MensagemAssunto: Re: [Suju] Slutty Me (eunsihae/kyumin)   Seg Abr 02, 2012 10:01 pm

Olá genteee~ Ainda bem que estão a gostar!
Desculpem postar tão raramente mas quase nunca tenho net em casa e é complicado T-T
Mas também como anda tudo ocupado espero que vocês não levem muito a mal :3
Anyway, aqui está um novo capítulo, mas antes de postar, apetece-me partilhar gifs com algumas das personagens e a forma como as imagino para vocês também terem uma ideia de como elas são visualmente na fic.
Não vou por todas as personagens, depois ponho mais se me apetecer.

Começamos pela personagem principal, O Donghae ^^

este gif é muito ele. Dark mas lindissimo :b O hae nesta fic tem uma aura muito negra por isso ele sorri sempre desta forma falsa. Pelo menos por agora... Cool
O Sungmin ainda é o unico que o pode fazer sorrir um BOCADINHO mais verdadeiramente. E bom... Ele também sorriu quando o Hyuk o elogiou :b


Depois, o nosso Hyukjae. O nosso Hyukie tem o cabelo escuro da mesma altura em que o Hae estava loiro/ruivo.
Ele é bastante "normal" e responsável por isso é basicamente o Hyukjae normal mas menos pateta x)



Depois, Sungmin é sem duvida look bonamana porque esse look é o pecado andante xD

Mas quando ele não está no bordel é simplesmente lindo e goofy like xD


O Kyuhyun é cabelo castanho escuro porque (apesar de o amar com todos os penteados) este é o meu favorito para este tipo de personalidade sexy mas super divertida e sincera.



O Siwon... É o Siwon... Sexy as hell mas dark dark dark motherfucker :b

Menos para quem não o conhece. Para quem não conhece é tipo mesmo gentleman Siwon verdadeiro xD


Heechul: Este gif diz tudo sobre ele.


E pronto, por agora é tudo.
FIC!

Slutty Me - Capítulo 5

Era muito incomum Donghae estar a dormir às 3 da manhã, a menos que estivesse de folga. E mesmo assim, devido a trabalhar sempre de noite, o rapaz acabava por manter uma rotina de horários diferente das outras pessoas. No entanto, desta vez os últimos acontecimentos tinham-no atirado para um sono profundo com facilidade. O pequeno já estava a dormir desde as oito da noite, depois de passar duas horas envolvido em esquemas para escapar daquela casa, visto Siwon ter batido com a porta e não o ter voltado a chatear. No entanto, Donghae estava à espera de ser acordado a qualquer momento por isso não foi um choque quando foi arrancado dos seus sonhos não mais pacíficos que a sua vida actual. Faziam anos que alguém incomodava o seu sono e esse era o motivo por as lágrimas o atacarem quando o intruso o beijou bruscamente, a sua mente ainda meio desperta. Donghae nunca chorava a não ser nas suas horas de sono.
Siwon olhou-o com um sorriso mesquinho, passando uma mão pela sua franja desalinhada.
- Estás a mostrar o teu lado fraco? Aconselho-te a não fazeres isso. Esse teu olhar brilhante ainda te deixa mais apetecível.
Donghae mordeu o lábio afastando o rapaz que entrara na sua cama e escondendo o olhar. As memórias atacavam-no como facas.
~~~
O rapaz de cabelos negros abriu os seus olhos brilhantes em pleno terror ao seu acordado de repente do seu sono leve. Nunca se sentia em plena segurança naquela casa. A casa de Park SoMin.
Park SoMin era o homem que o tirara das ruas. Donghae pensara que fugir para uma vida feita pelas suas próprias escolhas era a melhor escolha. No entanto as suas habilitações e idade davam-lhe apenas acesso a trabalhos menores, de atendimento ao público. Mas por mais que o pequeno tentasse trabalhar num café, a sua experiência de vida acabava por o levar a ser despedido. Ele por e simplesmente não conseguia interagir com as pessoas como se a sua vida fosse igual à dos outros. E como ele não fora dos poucos sortudos a quem aparecia um príncipe encantado ou uma fada madrinha para o salvar de um destino terrível, o moreno só vira uma opção: Voltar para as ruas. Trabalhar por conta própria com apenas 16 anos era demasiado arriscado mas que opção tinha? Pedir ajuda ao governo? Alguma vez alguém lhe dissera que havia ajuda aí? Que era neles que podia confiar? Tirando a escola, toda a sua vida fora uma lavagem cerebral. Donghae não podia confiar em ninguém.
Fora quando SoMin aparecera. Um homem de posses e aspecto agradável. Donghae sabia que não podia esperar inocência da mente de ninguém e que as intenções daquele desconhecido eram claras, mas que escolha tinha? Ficar nas ruas em vez de trabalhar apenas para alguém? Na altura a segunda opção era muito mais atractiva.
Mas rapidamente Donghae se arrependeu. Odiava ser o objecto de alguém.
O cheiro a álcool era demasiado intenso, ajudando o rapaz a acordar. O homem obrigou-o a levantar-se, arrancando-o debaixo dos lençóis e agarrou o seu queixo com demasiada força.
- Como te atreves a fitar-me com esse brilho irritante no olhar? Porque esse olhar inocente me deixa fora de mim?! – o homem gritou e a sua mão voou contra a cara do rapaz, acertando-lhe com força. Donghae não se moveu. Aguentou a dor, mordendo o interior das suas bochechas e baixou o olhar. O que podia fazer ele se o seu olhar era brilhante e bonito?! Se ele pudesse apagaria todo o brilho do seu olhar. Sabia que os seus olhos tinham um poder imenso nas pessoas mas preferia que não fosse assim. Devia ser castigo de Deus. A sua vida era do mais miserável que havia mas, mesmo assim, o brilho atraente do seu olhar não desaparecia.
SoMin voltou a agarrar o seu queixo.
- Quem disse que não devias olhar-me? Não disse que queria ficar sem esse olhar! – o homem ordenou com um sorriso travesso, afectado pelo álcool e atirou o pequeno para cima da cama, arrancando depois o seu casaco de executivo.
~~~
Siwon mostrou o seu sorriso sacana uma vez mais, atirando os cobertores para o lado e indo para cima do ruivo.
- Não vais atirar uma das tuas bocas? Estás sentimental? Não sabia que coisas como tu tinham sentimentos.
Donghae enervou-se tentando atirar o moreno de cima de si mas este apenas agarrou os seus braços contra a cama, rindo-se divertido.
- Porque é que vocês não me deixam em paz?! – o ruivo atirou irritado, atirando o cabelo para o lado. Siwon inclinou a cabeça e encolheu os ombros.
- Cada um tem o seu lugar no mundo.
Donghae engoliu em seco para engolir a raiva que lhe enchia a garganta e lhe impedia a respiração, intensificando-a pelo nariz. Os seus dentes estavam cerrados. Sentia-se à beira do choro uma vez mais.
- Não vais dizer que me odeias? – o moreno picou.
- Para ser torturado? Não me parece.
- Não te vou torturar, estou bem-disposto.
- Não tem de dormir?
- E que o que isso é da tua conta? Acabei agora uns papéis mas tinha saudades tuas.
Donghae não disse nada. Devia sentir-se lisonjeado? Se era isso que Siwon esperava ouvir podia esperar sentado.
No entanto Siwon não parecia minimamente interessado numa reacção do ruivo, beijando-o rapidamente.
- Mesmo acabado de acordar consegues ser estupidamente atraente. Não tens vergonha?
- Você também devia ter vergonha de muita coisa e não a tem. – Donghae nunca conseguia estar calado mas Siwon estava mais interessado em outros tipos de barulhos. A sua mão alcançou o seu baixo-ventre, apertando o seu sexo e estimulando-o. O ruivo gemeu agarrando o braço de Siwon com força e amaldiçoou-se por se deixar levar por aquelas mãos ágeis.
Siwon sorriu contra a orelha do rapaz.
- Gosto mais desses barulhos por isso menos conversa e mais gemidos.
- Fode-te.
- Ah… Para profanar já não se fala com respeito… Pensava que já te tinha dito que essa era a tua função.
- Então foda-me e desapareça de uma vez. – Donghae atirou olhando o moreno e não lhe dando o prazer de se deixar levar pela pressão no seu membro. No entanto era óbvio que o sangue começava a correr as suas veias mais depressa e a bombear lá em baixo.
-Com todo o prazer… Bom, relativamente só à primeira parte, obviamente. – atirou confiante antes de o beijar com desejo.
Donghae não o impediu, naturalmente.
Não queria voltar a ser torturado, apesar de toda esta situação ser uma tortura. Odiava cada toque do moreno e a cada beijo, cada movimento, mais uma cicatriz se abria no seu coração, devastando-o por dentro e apagando mais da sua sanidade.
Era uma escadaria para o inferno que Donghae não sabia como voltar a trepar.
***
Kyuhyun não queria acreditar naquilo que estava a fazer. Ainda por cima fazer algo deste calibre em cima da hora era escolher sem qualquer dúvida a única resposta possível. Era óbvio que apenas um não podia sair daquela boca perfeita. Mas depois Kyuhyun começava a pensar que era apenas Sungmin, a sua paixão de infância e o seu corpo agia por vontade própria. Esse era o único motivo para Cho Kyuhyun ter o telemóvel encostado à orelha e se dar ao sofrimento de aturar aquele apito compassado de espera.
“Bom dia.” A voz seca e estranha de Sungmin surgiu do outro lado da linha. Kyuhyun curvou uma sobrancelha.
- Desculpa estar a ligar tão cedo… Ainda devias estar a dormir, não?
Uma pausa e um suspiro
“Na verdade… Não dormi esta noite.”
- Não foste trabalhar? - Kyuhyun uniu as sobrancelhas, preocupado.
“Fui mas…” A voz do mais velho perdeu-se deixando Kyuhyun a ouvir apenas as impressoras e escrevinhar de canetas e teclas dos outros cubículos no escritório.
- O que se passa? - A voz de Kyuhyun era baixa e tranquila. O moreno conhecia Sungmin bem demais.
“Nada…”
- Não me mintas. O que aconteceu? Foste despedido?
Sungmin sorriu tristemente.
“Antes fosse. Na verdade… Mas o que me querias para estares a ligar às 11 da manhã?”
- Bom, queria convidar-te para vires almoçar comigo. O Hyuk- ahm, Um colega meu de trabalho cortou-se de sair para ir almoçar e estava a pensar se querias ocupar essa cadeira vazia na minha mesa.
“Ah. E porque sou apenas segunda hipótese e apenas para substituir o teu Hyuk-colega?” Sungmin atirou e Kyuhyun sorriu ao imaginar o rapaz de mão na anca e sobrancelhas unidas.
- Porque não queria acordar-te. Como trabalhas de noite…
“Okay, okay. Eu vou. Preciso de me distrair. Mas tens de me pagar o almoço.”
Kyuhyun sorriu matreiro.
- Claro. Mas apenas se me contares o que aconteceu para não dormires.
“Certo… Certo…” Sungmin cortou, suspirando.
O tempo não voou depois da chamada ser acabada, prolongando-se dolorosamente para ambos até à hora de almoço, combinada num café perto do escritório de Kyuhyun.
Quando ambos estavam frente a frente, ocupando uma mesa junto à janela, Sungmin permanecia distante e aflito, preocupando ainda mais Kyuhyun.
- Fala de uma vez, Sungmin. Estás a assustar-me. - O mais novo atirou tocando na mão de Sungmin que não parava de tamborilar na mesa de pinho. Sungmin forçou um sorriso.
- Quem és tu e o que fizeste com Cho Kyuhyun?
- Não gozes. Eu também tenho sentimentos, okay?
- Desculpa.
- Wow, estava a brincar. O que aconteceu, afinal?
Sungmin suspirou e o olhou o moreno.
- Promete que isto não sai daqui. Não é uma brincadeira ou um assunto de escritório. Sabes que onde trabalho existe prostituição e não é um assunto para se brincar.
- Hmm… Claro. Claro, Sungmin. Que raio se passa? Estás mesmo a assustar-me. - O mais novo uniu as sobrancelhas, ajeitando a cadeira para se aproximar mais da mesa. Sungmin suspirou e olhou o amigo.
- Enfim… O dono da casa vendeu um dos seus prostitutos que acontece ser uma das pessoas com quem melhor me dou lá. Ele é dos prostitutos mais desejados de lá e faz muito lucro mas é uma pessoa muito complicada. Acho que já anda na prostituição desde muito novo… Acredito que já lhe tenha acontecido muita merda e agora… Agora a… O dono… vendeu-o a um ricalhoiço qualquer estranho e eu não consigo parar de pensar que o Donghae está em muitos maus lençóis.
- Calma… Wow, tu dás-te com os prostitutos?
- Claro. Todos nos damos. O que tem? - Sungmin agiu de forma mais defensiva do que queria. Por mais que tentasse parecer indiferente pelo bem de ambos, a verdade é que Sungmin era um desses prostitutos a quem Kyuhyun torcera o nariz.
- Não sei…
- Kyuhyun, são pessoas iguais às outras. Com uma vida muito mais difícil para falar verdade.
- Sim, eu compreendo. Não estou a julgar. Apenas pensei que empregados e prostitutos pertencessem a gerências diferentes e… Não sei.
- Antes do bar abrir nós estamos todos juntos a preparar a noite…- O rapaz de cabelos negros tragou um pouco da sua bebida. Não estava a mentir mas sentia-se desconfortável a falar disto. Queria fugir ao máximo deste tema de conversa mas se queria a ajuda de Kyuhyun em relação a Donghae tinha de lidar com a mentira com sangue frio. - De qualquer das formas, queres ouvir o meu problema ou não?
- Sim. Claro, continua.
O pequeno corvo torceu o nariz, suspirando.
- Bom, eu falei com o dono e… Não, sei. Há aqui algo muito mal explicado. Eu sei que ele foi vendido contra vontade. Eu preciso de encontrar o Donghae. Saber que ele está bem. Ele é meu amigo. Ajudou-me quando eu mais precisava e nunca me perdoarei se lhe acontecer algo.”
- Mas… Sungmin… Não achas que isso é um mundo muito negro para te envolveres?
- Eu já estou demasiado envolvido…- Sungmin suspirou em surdina, deixando Kyuhyun ainda mais confuso com toda aquela situação. O mais novo brincou com os seus dedos esguios.
- O que pensas fazer?
- Não sei… Não sei nada sobre o ricalhoiço para além de que se chama Choi Siwon… Está a dar comigo em doido…- O corvo passou uma mão pelos cabelos sedosos.
- Calma. Disseste Choi Siwon? O pirralho empresário? - Kyuhyun cortou arregalando o olhar. Sungmin olhou-o confuso.
- Ham… Eu não sei quem ele é. Mas provavelmente. Pelo menos ele era um empresário extremamente rico e jovem.
- Só pode ser ele! Mas num bordel? Comprar um prostituto? Isto não faz sentido nenhum! - O rapaz riu-se levando as mãos atrás da cabeça. Sungmin olhou-o ainda mais confuso.
- O quê? Mas como é que tu o conheces?
Kyuhyun olhou o corvo pela primeira vez e sorriu, massajando um ombro.
- Bom. Sabes que o meu pai tem muitas acções em Seoul… E nos últimos anos ele tem-me chateado por seguir a minha paixão por literatura em vez de estar a ajudar na empresa e tomar o seu nome…- o mais novo tragou um pouco da sua bebida. - Ele não costuma chatear-me só porque sim. Na verdade gosta bastante que siga os meus sonhos. Só o faz quando o nome Choi Siwon vem à baila. Daí me lembrar dele. Pelo que o meu pai conta, O gajo tem um império de empresas e acções em Seoul. Os pais morreram quando ele estava a sair da universidade e deixaram-lhe o império completo na herança! - Os olhos de Kyuhyun brilharam com o entusiasmo. - Pelos vistos para os aliados foi o drama e para a concorrência uma festa. Como podia um miúdo tratar de tal império? Mas pelos vistos Choi Siwon é um génio e ao longo dos anos tornou-se num dos gajos mais ricos da cidade. O meu pai odeia que um miúdo com meia dúzia de anos de experiência tenha tal importância e sorte e repete vezes sem conta que se eu desse uso aos meus neurónios sobredotados estaria a fazer frente ao pirralho, como o meu pai lhe chama. - O moreno riu-se levemente mas quando olhou Sungmin, a sua expressão era séria. - Sempre ouvi que Siwon era um homem extremamente educado e elegante apesar de não se saber nada da sua vida privada… Pensava que seria alguém como eu. Com facilidade de criar inimigos por ter uma personalidade lixada mas que não faz mal a ninguém. Mas estar a ouvir-te dizer que ele comprou um amigo teu prostituto e que o queres salvar… Sungmin… O poder dele é enorme a nível legal. Pelos vistos é igual a nível ilegal.
- Mas se ele tem negócios ilegais isso pode destruir o seu império legal!
- Sim, se vivêssemos numa sociedade justa e correcta. Mas a realidade não é essa. Não me parece nada boa ideia que nos metamos nisto.
- Kyuhyun. Tu não compreendes. Eu não posso deixar o Donghae nas mãos de um maníaco qualquer que compra prostitutos!
- Sungmin! - O moreno bateu com o punho na mesa. Irritado. - Se tudo isto é verdade não há forma de puderes lutar contra Choi Siwon!
- Eu hei-de encontrar uma forma de ajudar o Donghae. Querias saber o meu problema, este é o meu problema. Não pedi que me aconselhasses ou ajudasses. - O rapaz atacou irritado e levantou-se, pegando no seu casaco.
- Sungmin.
- Perdi a fome. Podes mandar o meu prato de volta quando chegar. - O rapaz disse com desprezo e passou pelo mais novo, fugindo para a saída. Kyuhyun não o impediu e bateu com o punho na mesa, irritado.
Não podia permitir que Sungmin se metesse em tal situação. Mas sabia que o corvo era insistente demais… Nada disto lhe soava minimamente bem. Mas… Como sempre, ao tratar-se de Sungmin, Kyuhyun deixava de conseguir racionalizar como o pequeno génio que era.


Continua...

Espero que tenham gostado. Comentem e façam-me feliz!

Vou tentar postar mais rápido o próximo mas não prometo nada x)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://twitter.com/kimurapd
Cho MinTae
Moderadora do Blog
avatar

Mensagens : 1128
Data de inscrição : 23/06/2010
Idade : 26
Localização : South Korea

MensagemAssunto: Re: [Suju] Slutty Me (eunsihae/kyumin)   Sab Abr 07, 2012 4:47 pm

Whaaa ~ how I missed this *-*
Primeiro, adorei os gifs de apresentação das personagens! Isto é logo para deixar uma pessoa fora de si antes de ler, não se faz Kim! u.ú XD
Adoro o ar de filho da mãe do Hae aí gkdkgkdkskfk!!! E o Sungmin Bonamana é mesmo um pecado, fuck devia ser proibido NÃO! Mas claro que ele tem de ser todo de sorrisinhos e fofura quando está perto do Kyu~ I see your hand Lee Sungmin... (e a outra que não vejo imagino onde esteja Cool *apanha* Aiiiii e esse cabelo do Kyu também é dosmeus favoritos, just hldkkfkskgkgk *breathe in breathe out* E bless o gif do Heechul, adoro!!!
Ok, eu tou muita parva hoje XD
Vamos à fic: já tinha saudades da envolvência desta história *-* Quando quiser ficar com raiva do Siwon basta vir aqui e ler esta fic! (mas eu não quero ter raiva daquela coisa adorávelmente sexy e tentadoramente querida *-*) Filho da mãe pá! Deixa o Hae em paz!!!!
Passado do Hae à vista! Coitado, ele não teve uma vida mesmo nada fácil nem agradável! E aquele chulo daquele homem, a abusar de um menor, filho da mãe nojento!!! Que nervos que raiva disto tudo!!!!!
Adoro as respostas que o Hae dá ao Siwon, devia era mandar-lhe ainda mais bocas (ok, eu sei que não é aconselhável, mas o Siwon merece ouvir umas verdades)
E o Kyuhyun é tão fofinho quando se preocupa com o Minnie *-* Lá à maneira dele, mas pronto! Ele ama o Sungmin e o Sungmin ama-o também and it's all that matters! Marry now! *happy shipper*
Awwwww gostei do que li! Eu espero que o Kyuhyun ponha mesmo os seus neurónios de génio a trabalhar e ajude o Min a acabar com o Siwon! Se as pessoas sabem que ele anda metido a comprar prostitutos e os trata mal, bye bye reputação, bye bye estatuto, bye bye tudo!!!! (Eu torço sempre pelos mafiosos da cena mas não posso desculpar uma destas, ainda por cima o que ele faz ao Hae)
Ah, sem contar que eu adorava ver o Kyuhyun de empresário a fazer concorrência ao Siwon (Kyu empresário de negócios escuros é a minha perdição!)
Ah, e adoro o facto do Kyu perder todo o raciocínio de génio quando o assunto é o Sungmin. You love him, that's why. Don't deny anymore baby ~

AISH!
Eu vou parar com o devaneio! *gets killed*
Continua please, sabes que eu AMOOOOOOOOOOOO isto! *-*
FAST!!!


Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://chomintae.tumblr.com/
kim
Moderadora Gráfica
avatar

Mensagens : 737
Data de inscrição : 05/07/2010
Idade : 25
Localização : Coimbra (devia ser seoul -.-)

MensagemAssunto: Re: [Suju] Slutty Me (eunsihae/kyumin)   Ter Jul 03, 2012 6:32 pm

Eu sei... Eu sei...
Mereço uma shotgun na cabeça pelo premio de uploader mais lenta da história mas tenho andado
a espremer a minha escrita e imaginação para outras histórias e deixo esta de lado... T-T
Acabei agora de escrever este capitulo de qualquer forma. Not big mas espero que gostem ^^
Eu juro que enquanto não tenho Eunhae (porque ainda têm de acontecer umas quantas coisas para EunHae acontecer) eu me vicio em Kyumin xD
Anyway, ENJOY!

Slutty Me.
Capítulo 6



Os dias começavam a perder o sentido para Donghae, estando sempre fechado dentro daquela casa. A cada hora que passava, o jovem de cabelos claros odiava cada vez mais aquelas paredes beges e despidas de sentimentos, envergando uma vez ou outra por acaso uma obra de arte demasiado cara para o seu conteúdo.
Siwon cada vez mais estava à vontade com o seu novo investimento. Donghae era um brinquedo viciante que o moreno não tinha medo de explorar das formas mais macabras e arrogantes para seu bel-prazer, nunca pensando no bem-estar de Donghae. Sempre que o ruivo gemia ou gritava de dor, era óbvio que Siwon adorava e isso apenas o excitava mais. Dera-lhe algumas prendas numa tentativa fraca de agradar Donghae mas tudo isso apenas lhe dava mais vontade de vomitar. Fora querido na noite em que lhe dera um piercing de orelha e em que o colocara no furo aberto do ruivo – mais uma marca para assegurar em como Donghae era seu - e o tomara com cuidado e carinho depois disso. Mas fora essa ou outra noite de envolvimento, Donghae começava a perder a memória de sexo pacífico e sem sentimento, apenas para trazer dinheiro para casa. Sexo era uma vez mais algo assustador e perturbador. Mesmo que Siwon fosse demasiado atraente para ser real, Donghae já não conseguia encara-lo sempre que o moreno o tocava ou violava.

Nojento.

Tinha mesmo que sair dali.


O ruivo saltou na sua cama quando bateram à porta mas logo se acalmou. Siwon nunca batia à porta por isso era normal que a pessoa do outro lado fosse apenas Yoona.
Donghae ainda não se acostumara nem nunca se iria acostumar aos olhares de pena que a jovem lhe lançava sempre que o olhava mas nunca tocava no assunto. Sabia que a rapariga não fazia por mal, apenas tinha um coração demasiado meigo e Donghae não conseguia levar a mal.
A jovem entrou com um tabuleiro que poisou em cima da mesa-de-cabeceira.
Donghae olhou-a com ar esperançoso.
- Arranjou o que lhe pedi?
Yoona engoliu em seco unindo as suas mãos delicadas e acenou com a cabeça.
- Sim. Quando quer por o plano em prática?
- Hoje à noite. Acha que consegue?
A rapariga acenou uma vez mais mas via-se o medo nos seus olhos.
- Não tenha medo. Se algo acontecer, ele nunca saberá que me ajudou.
- Não quero que lhe aconteça mais nada! – a jovem afligiu-se. Donghae sorriu tristemente.
- A sua vida é muito mais importante que a minha, pode ter a certeza. Você tem uma família, pessoas que ama.
- Não é menos humano que eu. Eu já vivi muito, você tem de começar de novo, e viver tudo o que nunca viveu.
Donghae sorriu à rapariga. Yoona tinha um coração como ele de facto não sabia existir. Dissera-lhe isso mais que uma vez durante a semana que passara e em que ela o ajudara a arranjar um plano para fugir. Era por isso que Yoona insistia em dizer que Donghae merecia mudar de vida; percebera desde o início que Donghae estava demasiado enterrado num mundo cruel e desumano onde ela e muitas outras pessoas não pertenciam.
- Não se preocupe comigo. Nunca lhe poderei compensar o que já está a fazer por mim. – uma pausa e um suspiro. – Vamos rever os passos? Não se esqueça de só tratar dos cães quando ele estiver comigo. Ninguém pode desconfiar de nada.
Yoona acenou, confirmando que compreendera.

***


Um aglomerado de folhas caiu com um sonoro baque no tampo da secretária, acordando Hyukjae do seu estado adormecido em pensamentos. Kyuhyun sorriu ao moreno, sentando-se na cadeira de escritório à sua frente.
- É incrível como alguém tão profissional como tu tanto sonha acordado no emprego.
Hyukjae suspirou olhando o rapaz à sua frente e o aglomerado de papéis que se juntara aos anteriores.
- O que é isso?
- O livro que te prometi.
O mais velho arregalou o olhar, fitando Kyuhyun.
- O… livro do teu “amigo”. – ele indagou, gesticulando aspas com os dedos na palavra amigo. Kyuhyun revirou os olhos.
- Sim, do meu “amigo”… - ele imitou, gozando com o tom de Eunhyuk. O mais velho olhou-o desconfiado.
- Vocês não estavam chateados?
Kyuhyun encolheu os ombros.
- Ele continua amuado comigo mas não me impede de estar com ele. Consegui convence-lo a dar-me o trabalho dele por isso…
- E como é que conseguiste isso? – Hyukjae cortou com um sorriso trocista. Kyuhyun sorriu enviesado.
- Tenho os meus métodos… - comentou com ar sugestivo. Eunhyuk riu-se.
- Okay, não quero saber.
- Estou só a gozar. Ele não está tão aberto nesse sentido… - ele suspirou enfadado - Só tive de faze-lo acreditar que não lia e te entregava logo sem espreitar… - o mais novo suspirou enfadado. Hyukjae olhou-o desconfiado.
- Não quebraste a promessa.
Não era uma pergunta.
Kyuhyun olhou-o confuso.
- O que tem?
- Esse rapaz é mesmo especial para ti, não é?
Kyuhyun sentiu um arrepio com o olhar penetrante do mais velho.
- Claro que não. É uma questão de princípio.
- Claro, tu até tens princípios, Kyuhyun. – o mais velho riu-se, fazendo Kyuhyun arquear uma sobrancelha.
- Não te devo satisfações. Vais ler isso ou não?
- Que remédio tenho? – Hyukjae olhou-o com má cara. Kyuhyun sorriu.
- Eu sei que não te vais arrepender. Ele era o melhor aluno a línguas, sabes? Sempre que havia uma composição, os professores liam sempre as dele para a turma. Pelo menos… Era o que o pessoal da turma dizia. Ele odiava armar-se. – Kyuhyun sorriu para si, perdido em memórias. Quando não recebeu reacção, fitou Hyukjae confuso. O mais velho olhava-o com um ar estupefacto. Kyuhyun atirou-lhe uma borracha da secretária à cabeça.
- Au! Para que foi isso?! – Hyukjae levou os dedos à testa.
- Para parares com esses olhares estúpidos! Porque é que toda a gente fica espantada quando mostro sentimentos?
- Queres que numere? – Hyukjae arqueou uma sobrancelha com ar pacífico. Kyuhyun fez um beicinho.
- Mas eu dou-te tanto amor! – ele exclamou levantando-se. Hyukjae reprimiu-se no seu assento.
- Não!
- Oh, admite que adoras os meus abraços! – Kyuhyun atirou com um sorriso matreiro contornando a mesa e antes que o mais velho se pudesse defender, já ele o tinha abraçado pela cabeça, apertando entre os seus braços e fazendo sons idiotas que eram comuns à comunicação entre as mães e os seus bebés ou pessoas com animais de estimação demasiado fofos.
- Yah! Okay! P-pára! Respirar! – o mais velho gritou entre o riso, a voz embargada pela camisola do mais novo.
- Só para aprenderes. – Kyuhyun soltou com ar confiante depois de largar o seu hyung, ajeitando a sua roupa. – Mas a sério, lê isso. É importante para mim.
- Já percebi que isto é importante, Kyuhyun. Não te preocupes. – Hyukjae comunicou seriamente, arranjando o seu cabelo.

***


Yoona engoliu em seco, controlando o medo de ser apanhada. Se queria ajudar o rapazinho tinha de ser mais forte que o habitual e ultrapassar as suas preocupações. O pobre rapaz precisava da sua ajuda e ela não ia ficar a olhar. Tinha de ser rápida e fazer tudo como estava planeado. Donghae tinha de sair antes que a noite chegasse e os alarmes fossem ligados. Com um suspiro, deitou a substância transparente e sem qualquer sabor, misturando-a no líquido âmbar. Depois de se assegurar que as suas acções nunca deixariam um leve brisa de evidência, apressou-se a ir entregar a bebida pedida pelo patrão.
- Obrigado. – o homem comentou tomando o liquido. Ele era sempre bem-educado com ela apesar de frio. Yoona imaginava que ele a quisesse nas suas boas graças por ser a mais recente empregada daquela casa. Ela engoliu em seco.
- Senhor. Queria informá-lo que os ovos acabaram. Deseja que compre mais?
– Sim, não quero que falte nada quando descer. O Donghae está no seu quarto?
- Está sim, senhor. – ela curvou o seu corpo e apressou-se a deixar a divisão.
- Yoona!
O seu corpo congelou com o chamamento. Ele não sentira nada de diferente na bebida, certo?
- Sim? – ela indagou virando-se para o moreno; a sua expressão desprovida de sentimentos.
- Quero que informes a governanta para cessar o acesso ao andar de cima a todos vós. Não quero ser incomodado.
A jovem de cabelos negros curvou o corpo uma vez mais em sinal de compreensão.
- Com certeza, senhor. Deseja mais alguma coisa?
- Não. Podes ir.
- Com licença.

***

Donghae apreciava a paisagem pintada na janela. A vista da sua janela era lindíssima, mostrando os vastos campos da quinta de Choi Siwon. O seu coração batia descompassadamente, ansioso por liberdade. Donghae sabia se tudo corresse certo e se os deuses estivessem consigo, o seu corpo estaria livre em horas e ele poderia fugir para algo melhor. Tentar começar de novo. Yoona inspirava-o com as suas ideias de um mundo melhor onde as pessoas não eram cruéis e cada vez mais ele desejava tal realidade.
Estava farto de ser um animal de estimação. Um objecto sexual e de divertimento sádico.
Estava farto de olhar a televisão e ver aquelas vidas normais e comuns onde as pessoas tinham direito a respeito e pensamentos próprios. Onde os seus corpos era sagrados e apenas entregues àqueles que amavam…
Amor… Perguntava-se como seria senti-lo.
A porta abriu-se e o seu corpo encolheu-se por reacção. Siwon sorriu-lhe, o mesmo sorriso enviesado que Donghae já conhecia de olhos fechados.
O ruivo engoliu em seco. Ele já tomara a sua bebida. A sua hipótese para fugir estava cada vez mais perto.
- Saudades minhas?
- Sim, senhor.
- Então porque ainda estás vestido?

***

Yoona percorreu o jardim discreta e rapidamente, o saco da comida animal nas suas mãos.
Os cães de raça correram para si e ela levou-os para o cercado do jardim onde os animais dormiam. Era um pequeno barracão de aspecto limpo e quente do tamanho de um pequeno quarto e de tecto baixo onde os animais habitavam.
Dentro das quatro paredes, Yoona estava protegida de olhares curiosos e rapidamente retirou os dois comprimidos do bolso do avental. Com um suspiro forte, enrolou as pílulas em fiambre e deu-as a cada respectivo animal antes de lhes encher a taça de alimentação.
Ambos os cães tomaram os comprimidos sem medos, completamente indiferentes aos efeitos de tais produtos.

***

Siwon sentia o seu corpo pesado e cansado. Sabia que tinha tido um dia puxado, os nervos em franja devido a contractos complicados, mas indagava-se porque estava tão esgotado.
Donghae agarrou o seu queixo, quando Siwon deixou cair os lábios no seu pescoço, as pálpebras pesadas sobre os seus olhos.
- O mestre teve um dia cansativo? – ele perguntou no seu tom submisso como aprendera a falar para acalmar a agressividade de Siwon. O homem suspirou.
- Penso que sim.
- Deseja uma massagem? Parece tenso.
- Parece-me uma boa ideia… - o moreno sorriu e Donghae apressou-se a sair de baixo de si para o deitar de barriga para baixo, as suas mãos percorrendo as costas morenas e tonificadas do homem que odiava.

***

- Mas ainda ontem haviam ovos. – a governanta comentou.
- Mas acabaram. Sabe como o patrão precisa de ovos de manhã. Ele disse restritamente para ir fazer compras com Boris para que nada falte na casa quando descer e para ninguém o incomodar. – Yoona mentiu com confiança. – Se fosse eu não fazia nada. É uma falta de respeito a forma como ele abusa dos empregados.
- Tu és maluquinha rapariga. Já te avisei a aprenderes o teu lugar se não queres incomodar o menino. – a mulher pegou no seu casaco. – Eu vou tratar de tudo isso então, trata da casa.
- Com certeza.

***

- Yah! – Donghae gritou ao ouvido do homem adormecido e bateu-lhe na cabeça com força. – Acorda! – ele continuou, num guincho alto e irritante, abanando os seus ombros.

Nada.
Estava como morto.

Engolindo em seco, Donghae saltou de cima da cama e agarrou a sua roupa, vestindo-a rapidamente. Sem pensar duas vezes correu para porta e abriu-a, fechando-a atrás de si.
Yoona veio a correr para o final das escadas quando ouviu Donghae descer a escadaria.
- Conseguiu!
-Está tudo bem cá em baixo?
-Estamos sozinhos.
- Óptimo.
- Venha. – Yoona entregou-lhe um casaco dela e um gorro escuro, com o qual ele escondeu o cabelo. – Saímos pelas traseiras. A minha amiga já está à sua espera e irá leva-lo ao metro.
- Obrigado. – ele suspirou, seguindo-a para a cozinha. Abraçá-la-ia neste momento se não tivesse tanto medo e repulsa de contacto humano.
Com uma corrida rápida, os dois saíram pelos portões das traseiras, onde um carro estava discretamente estacionado no fundo da rua.
- É aquele. Despache-se. Não quero arriscar. Meti a dose para os cães acordarem antes dele de forma a não suspeitar de nada mas na verdade não sei quanto mais tempo irão dormir. – Yoona partilhou com preocupação.
- Não se preocupe. Vai tudo correr bem. Não se esqueça da sua história. Você nem me viu.
- Sim… Boa sorte, Donghae-shi.
- Obrigado, Yoona-shi. – o rapaz curvou o corpo em sinal de despedida e correu para o quarto. Agora era só rezar aos deuses para que Siwon não o encontrasse. Ele sabia que ia rezar e estava certo que a jovem rapariga rezaria também. Preocupava-se demasiado com alguém reles como ele.

***


Faziam horas que o sol tinha caído do horizonte, mergulhando a cidade de Seoul numa escuridão intranquila, recortada pelos vários aglomerados de luzes espalhadas pelas ruas.
Vermelho. Amarelo. Verde. E vermelho outra vez.
Faróis. Lâmpadas.
Constante troca de cores e a consistência do néon.
No entanto uma certa casa encontrava-se iluminada humildemente num banho de negro e cinzentos quando a porta bateu com força. Kyuhyun despertou sobressaltado com o barulho longínquo da porta e do seu telemóvel tremendo com força na mesa-de-cabeceira.

Mas que raio?

O moreno passou a mão pelos cabelos, grunhindo e agarrou o telemóvel – a luz do visor cegando-o por um momento até ele conseguir distinguir os caractéres que significavam “Lee Sungmin”.
Sem pensar duas vezes, o telemóvel voou até ao seu ouvido.
“Sim?” A sua voz soou esganiçada e inconsistente mas a do outro lado não parecia em muito melhor estado.
«Desculpa estar a chatear-te a esta hora… Mas será que podes abrir a porta?»
“Porta… Sungmin, o que-”
«A porta de tua casa! Por favor…» O rapaz pediu quase em desespero. Kyuhyun saltou da cama quase tropeçando no tapete e apressou-se para a porta, o estado adormecido impedindo-o de perceber a situação e obedecer mecânicamente. No entanto, assim que o moreno abriu a porta para um Sungmin com o cabelo desorganizado e olhos inchados, a sua mente despertou em choque.
“Sungmin?!”
O outro rapaz não disse nada e apenas passou a porta, abraçando Kyuhyun contra si num impulso. Kyuhyun piscou os olhos em choque antes de devolver o abraço e fechar a porta, Sungmin suspirando no conforto dos seus braços.
«Desculpa acordar-te tão tarde… Eu… Eu apenas não queria estar sozinho.» Sungmin lamuriou. Kyuhyun agarrou a sua face entre os dedos longos e fitou-o com preocupação.
“Podes-me explicar o que raio aconteceu? Porque estás com um aspecto horrível?”
“Foi… Foi apenas um percalço no trabalho…” Sungmin tentou sem saber como contar a verdade. Depois do que acontecera ele precisava desesperadamente de um amigo. Sabia que Donghae iria compreender mesmo que fosse frio mas Donghae não estava em lado nenhum que ele soubesse e Kyuhyun estava ali - mesmo que não soubesse nada de si e nem pudesse saber.
“Que percalço?” O olhar de Kyuhyun agravou-se. “Quem te fez mal?”
“Ninguém me fez mal… Foi só… Foi só um susto…”
“Conta-me que raio te fizeram para vires ter comigo a chorar! Tu nunca choras a menos que seja grave, Sungmin!”
“Por favor, Kyuhyun… Eu não consigo… Não me faças isto…”
“Onde raio andas metido, Min?” Kyuhyun largou-o com desespero no olhar.
“Desculpa…” O rapaz lutou contra as lágrimas, obrigando Kyuhyun a abraça-lo de volta, engolindo em seco.
“Eu só quero perceber…”
“Não há nadas que possas fazer com o que se passou… Eu contarei mais tarde… Mas agora só preciso de não estar sozinho.”
“Eu vou tentar respeitar isso, Min. E claro que a minha casa é como se fosse tua… Anda, vamos arranjar-te um pijama.” O moreno suspirou arrastando Sungmin para o quarto.

O corvo queria tanto confiar em Kyuhyun… Mas tinha tanto medo de o perder.
A sua vida neste momento era uma completa confusão à excepção de Kyuhyun.

Não queria perder isso…

Não depois de se sentir cada vez mais num poço tão difícil de trepar. Depois de estar cada vez mais longe daquilo que era…
Estava tão assustado com o caminho que tinha escolhido e o acontecimento desta noite tinha-o desesperado. Não queria pertencer mais a tal mundo mas não sabia como sair de tal realidade e acima de tudo, agora tinha a certeza que não podia desistir de Donghae.

Continua...

Sorry pelo suspense xD Não queria estar a deixar isto mais tempo sem actualizar mas eu prometo
que no proximo chap saberão o que aconteceu com o Sungmin e como está o Donghae...


Now... COMMENT PARTY!


Última edição por kim em Qua Jul 04, 2012 11:56 pm, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://twitter.com/kimurapd
Cho MinTae
Moderadora do Blog
avatar

Mensagens : 1128
Data de inscrição : 23/06/2010
Idade : 26
Localização : South Korea

MensagemAssunto: Re: [Suju] Slutty Me (eunsihae/kyumin)   Ter Jul 03, 2012 9:42 pm

Ok, eu podia dar-te um sermão gigante por estares tanto tempo sem actualizar isto, mas eu também não tenho moral nenhuma para falar so... resta-me agradecer por haver novo capítulo hoje... and I HOPE que continues a postar regularmente *pray*
Wha ~ vicia-te em KyuMin sim, eu agradeço isso! KyuMin is never enough, give me more of them ~

Passando ao capítulo:
Aflige-me mesmo ver o Hae assim preso na casa do Siwon a ser abusado por ele! Fiquei tanto tempo sem ler isto que agora voltaram aqueles sentimentos todos de raiva e gkdkgkfjhjkfjfjjkdjfjgk Siwon filho da mãe! Grrrrb kdkgkdfkgkf!!!!
Adoro a Yoona <3 ela é uma querida em ajudar o Donghae, mesmo arriscando-se a ser descoberta. Ela preocupa-se tanto e é tão querida *-* I love her ~
Ri tanto com a cena do Kyuhyun com o Hyukie XD
Whaaa ~ o senhor Cho-heartless-Kyuhyun todo derretidinho a falar do seu "amigo" Sungminnie, how cute <3 Adoro quando o Kyu começa a divagar só de pensar no Minnie, até relembrou os tempos de escola e awwwww how sweet can you get? *-*
Ahahaha adorei quando ele se abraçou ao Eun XD Ia matando o coitado a mostrar a sua cuteness XD
Espero que o plano da Yoona e do Hae corra bem e que ele consiga escapar a salvo *I ish I wish I wish* Mas acho que o Hae devia ter aproveitado para espetar uma faca nas costas do Siwon, ou devia tê-lo sufocado com uma almofada... só para garantir que ele não ia atrás dele. (Se fosse o Kyuhyun fazia isso xD) Ok --' eu tou muito assassina hoje, mianhae ^^''
AI MEU DEUS! O que é que aconteceu ao meu Sungminnie? Ele estava mesmo arrasado, quem foi o desgraçado que lhe fez mal? Tell me now, essa besta merece provar do próprio veneno gfjskjgkfk!!!
Still, eu gostei da cena do Sungmin se refugiar nos braços do Kyuhyun *-* Oh my poor KyuMin heart <3 Estas cenas fofas dão cabo de mim... E o Kyuhyun tão protector *-* Tanto mel, eu não aguento!!!

Ok, eu fiz aqui um testamento, mas acho que depois de tanto tempo merecia XD
Continua please, não me deixes nesta agonia!
Eu tenho mesmo saudades de ler fics neste fórum, ainda mais as tuas fics que têm esta componente dramática *loves*
All right, all right ~ eu vou-me já embora xD
Eu amo esta fic, nunca é demais frisar isso ^^
Chu ~
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://chomintae.tumblr.com/
kim
Moderadora Gráfica
avatar

Mensagens : 737
Data de inscrição : 05/07/2010
Idade : 25
Localização : Coimbra (devia ser seoul -.-)

MensagemAssunto: Re: [Suju] Slutty Me (eunsihae/kyumin)   Sab Jul 28, 2012 6:55 pm

One new chap! ^^ A sério, eu não tenho tempo nenhum para postar isto (estou a postar da casa de amigos Dx) Mas anyway
MUST.UPDATE.
Min, obrigada pelos comments e love. I love you, girl~ ^^


Slutty Me
Capítulo 7

A madrugada ainda ia a meio mas o turno de Sungmin já acabara, libertando-o de possíveis clientes. Hoje fora uma noite particularmente cansativa, visto ter sido requerido para apenas trabalhos submissos onde o seu estado físico e mental era posto à prova.

Quando entrara neste mundo Sungmin nunca pensara que vender o corpo pudesse ser tão difícil e demolidor em todos os sentidos. Mesmo no seu estado.
Apenas Kyuhyun, Donghae e Leeteuk conheciam este lado de Sungmin pois na verdade o mais velho tinha demasiada vergonha de o partilhar com mais alguém desde que o médico o diagnosticara… Mas a verdade era que Sungmin era ninfomaníaco.

Ao inicio tudo parecia apenas uma queda para se envolver com Kyuhyun visto o amar mas quando o mais novo partira para a capital e deixara o corvo sozinho na sua terra natal, Sungmin rapidamente se apercebera que não conseguia não se envolver sexualmente por muito tempo sem ficar estupidamente ansioso e agressivo. Era algo que conseguia controlar mas preferia não o fazer.
Leeteuk vira isso – saberia lá ele como – quando Sungmin acabara neste bar, desejoso de esquecer todos os seus problemas e falta de sorte com aquilo que mais gostava: sexo.

Tinha chegado ao ponto de estar meses sem sexo e naquele momento já não queria saber se se envolvia com um completo estranho ou pagava por uma companhia. Mas sabia que a segunda opção era impossível visto ele estar teso em todos os sentidos.
Fora quando a sua futura “umma” lhe dera uma terceira opção.
Os clientes podiam não ser sempre agradáveis mas Sungmin podia escolher e ainda lucrava bastante em dinheiro e necessidades, ajudando-o a não ser despojado do pequeno apartamento que possuía.
Por uns tempos tudo parecera perfeito…

Até Sungmin começar a ver que agarrados à prostituição de luxo vinham muitos outros perigos.
E mesmo sendo ninfomaníaco, era impossível ignorar o efeito que vender o seu corpo causava.
Hoje era mais uma noite em que Sungmin saía do seu posto de trabalho indagando quanto mais tempo conseguiria fazer isto a si próprio - Donghae e a sua situação extrema nunca saindo do seu pensamento e assustando-o, fazendo-o temer igualmente pelo seu futuro - quando tudo piorou.

Ele tinha acabado de sair do bar; o beco escuro e abandonado à sua frente quando um dos seus usuais clientes lhe cortou o caminho, agarrando-o.
“Hei, onde pensas que vais?” o homem cortou, já minimamente alcoolizado.
“Desculpe? Peço desculpa mas o meu turno acabou, vai ter de usar outra companhia.” Ele avisou com autoridade.
“Eu não quero outra companhia.” O tom era insistente. Sungmin arrancou-se do toque do estranho, o seu orgulho sempre falando mais alto. Sungmin era conhecido no bar por uma certa arrogância que os clientes indicavam como o tornando ainda mais adorável.
“Não tem outra escolha.”
“Tens a certeza, coisinha?”

O homem devia pensar que aquele era mais algum jogo e obviamente ele nunca quereria perder. Sungmin engoliu em seco. Odiava como quase todos os clientes eram desesperados por se acharem superiores aos seus acompanhantes.
Sungmin suspirou contornando o homem e seguindo o seu caminho mas mal o fizera o homem já o agarrara, puxando-o para si.
“Quem é que pensas que és? Não percebeste o que quero?”
“Largue-me!”
O estranho riu-se divertido, agarrando-o com mais força. Sungmin era forte mas o outro ainda mais.
“Tu és mesmo qualquer coisa.”
“Deixe-me em paz!”
“Aquilo que queres não me interessa.”

Aquilo que queres não me interessa.

Sungmin sentiu as lágrimas queimarem o seu olhar quando o homem o beijou com força.
Então era assim que sabia ser usado contra vontade própria.
Não haviam interruptores para chamar a segurança, sempre prontos para o proteger e a degradação e exposição eram aterrorizantes.

“Tu és meu. Não vale a pena negares-me.”
“Por favor…”
“Hmm, adoro quando imploras.”

Então era assim que sabia pertencer a alguém que não se queria.

Quando Sungmin sentiu a suas costas embater numa parede do bordel, as lágrimas desceram pela sua delicada face. Ele queria lutar contra aquelas mãos agressivas e aqueles lábios repulsivos mas havia uma constante fraqueza que se apoderava do seu corpo a cada toque indesejado, deixando-o sem reacção.
“Não! Largue-me!”
Uma investida de força ajudou-o a empurrar o homem mas não fora o suficiente para o afastar e as lágrimas aumentaram quando o homem lhe mordeu o pescoço, Sungmin sentido aquelas mãos agressivas apoderando-se do seu cinto da calças.
“Fodasse! Pára quieto!”
“N-Não!”
E então, o corvo fez a única coisa que podia.
Gritou por ajuda.
Quando a ajuda veio - um rapaz alto e de cabelos platinados com madeixas azul florescente que também se prostituía no bordel – Sungmin estava a um triz de ter as calças puxadas para baixo numa investida arrogante para que depois o pior viesse.
Mas nada disso aconteceu visto um punho ter voado contra a cara do seu violador.
E então ele estava nos braços de Leeteuk por um momento, antes de o mais velho o colocar nos braços do rapaz de manchas azuis e agarrar o homem caído no chão pelo colarinho.
“Que merda pensas que estás a fazer?! Pensava que conhecias bem as regras do meu bordel! É a segunda vez que pisas o risco! É bom que nunca mais te aproximes desta zona ou acabo com a tua vida!”
Sungmin estremeceu com tais palavras e com o murro que Leeteuk atirou contra a cara do seu cliente.
“Joongmin, vai chamar o Hiro! Quero este gajo marcado o suficiente para nunca mais ter coragem de se aproximar do meu negócio.” Ele atirou e num movimento, Sungmin deixara de ter o conforto do colega. O corvo aproveitou para se recompor e limpar a boca com força.
Sentia-se nojento.
“Por favor Leeteuk, eu não queria-“
“Considera-te com sorte. Se tivesses marcado o meu rapaz a esta hora estavas sem mãos.”
O rapaz voltou acompanhado por dois seguranças que agarraram o homem pelos braços. Leeteuk abraçou Sungmin e levou-o para o bar, impedindo-o de ver aquilo que os seguranças iriam fazer ao infractor. No entanto Sungmin sabia por outros acontecimentos que se clientes quebrassem regras de Leeteuk, acabavam muitas vezes no hospital. Os seguranças daquela casa não eram consideravelmente simpáticos.

Sungmin pedira em aflição para tomar um duche e Leeteuk assentira no momento, mas nem o duche o ajudara a parar de tremer. Leeteuk tentara obriga-lo a beber um chá, confortando-o, mas Sungmin fora rápido a convence-lo que só precisava de ir para casa.
Neste momento havia apenas duas pessoas que o podiam confortar.
Uma ele necessitava desesperadamente de abraçar mesmo que soubesse que estaria a dormir a esta hora. A outra era o motivo para os seus constantes soluços durante o caminho pelas ruas agitadas de movimento nocturno em direcção a um certo apartamento.



***

A manhã começara mal para Hyukjae.
Para além de ter sonhado com o estúpido do rapaz mistério e ter a certeza de ter sonhado com a aparência exacta dele – bem escondida no seu inconsciente – e o ter esquecido assim que acordou, agora Kyuhyun ligara-lhe avisando que não vinha trabalhar porque estava doente ao ponto de morrer se se levanta-se da cama, como o próprio dissera.
Só esperava que não tivesse de ressaca ou quem o matava era ele próprio.
Bufou agarrando o livro que o desgraçado lhe pedira para ler.
A culpa era toda deste molho de folhas.
Se ontem não o tivesse começado a ler antes de ir para casa, não tinha sonhado com o tal rapaz e agora não se sentia tão confuso. Passou a mão pela cara, irritado.
Ele não era gay. Ele adorava miúdas.
Fora só uma fase, certo? Mas então porque é que os seus amigos ainda o perseguiam tanto?
Não havia nada de errado em ser homossexual e ele não tinha nada contra eles - obviamente. Ele apenas não o era…
Bom, Kyuhyun também não.
“Oh boa, Hyukjae, melhor forma de te esclareceres. Agarra-te à ideia que és igual ao Kyuhyun.” O moreno grunhiu para si.
O seu telemóvel vibrou e Hyukjae arqueou uma sobrancelha ao ver o nome “Cinderela.”
Era uma piada íntima entre ele e Heechul, começada numa altura em que Heechul usara o cabelo comprido e na sua cor natural, apanhado num rabo-de-cavalo que o fazia parecer uma princesa de um anime japonês, ainda na faculdade.
Sim, uma princesa.
“Que raio queres, Hee? Sabes que estou a trabalhar.”
«Eu acho que estou interessado por uma miúda.» A voz soou adoravelmente assustada.
“O quê? Hee, estás-me a ligar porque estás interessado numa miúda?!”
«Isto é terrível!”
“Calma. Mas tu és gay…”
«Exacto! Estou completamente confuso!»
Hyukjae suspirou com a ironia.
“Também eu…” O pensamento escorregou-lhe para a língua.
«O quê?»
“Nada! Nada…”
«Deve ser falso alarme. Tenho de bazar.»
Quando Eunhyuk deu por ela, Heechul tinha desligado. O outro era sempre assim.
O moreno poisou o telemóvel na secretária, unindo as sobrancelhas, um sinal característico de quando estava em lutas internas.
“Exacto. Deve ser apenas falso alarme…”


***

Ao inicio, quando a luz da manhã penetrou as suas pestanas, obrigando-o a acordar, Sungmin despertou em pânico, confuso com o sitio desconhecido, mas rapidamente a noite anterior lhe assaltou a memória e Sungmin reconheceu o apartamento de Kyuhyun. Com um suspiro, o corvo rolou na cama, procurando o mais novo apenas para encontrar um aglomerado de lençóis.
- Kyuhyun? - O rapaz indagou, demasiado baixo para chamar a atenção de alguém pelo apartamento, os seus lábios em forma de morango inchados do sono e os seus dedos esfregando os seus olhos cansados, ajudando-o a despertar. No entanto, Kyuhyun entrou no quarto momentos depois, arranjando possíveis vincos na sua camisola lavada acabada de vestir e olhando Sungmin com um sorriso.
- Estou aqui, Min. Fui só ligar para o emprego, avisar que não vou trabalhar hoje. Bom dia, que queres comer?
-Bom dia… Ahm… O quê? Porque… Não, Kyuhyun, tens de ir trabalhar! - Sungmin desorganizou os seus cabelos, despertando mais seriamente e olhando Kyuhyun em repreensão.
- Não… Tenho de ficar aqui a tratar de ti. O que-
- Mas-
- Nada de mas! Vamos chatear-nos? O que queres comer?
- Não tenho fome…
- Queres que me chateie contigo? – o moreno curvou uma sobrancelha, o cabelo ainda húmido do banho. Sungmin suspirou, tirando as cobertas de cima de si.
- Ai Kyuhyun! És tão irritante! – o mais velho amuou, cedendo. Kyuhyun sorriu.
- Eu sei. Agora: comigo para a cozinha. Se não queres pedir comida, também não há pequeno-almoço na cama!
- Também não queria!
- Sim, sim. Á minha frente!

Os dois foram para a cozinha. Cozinharam e falaram do tempo e da rotina.
Foram para a sala tomar café e falar da família e do passado… Até que Sungmin não era mais capaz de fugir à insistência do mais novo.
A noite anterior soava ainda pior quando contada.
Kyuhyun passou a ver vermelho.
- O QUÊ?! Quem é esse filho da puta nojento?! – o mais novo levantou-se do sofá, Sungmin levantando-se também.
- Não vale a pena, Kyuhyun! Ele já teve o que merece! – Sungmin tentou acalmar o moreno, tocando-lhe na face.
- Ele merece apodrecer na cadeia, esse cabrão. – Kyuhyun rugiu, agarrando as mãos de Sungmin nas suas e abraçando-o com força. – Quem me dera poder arrancar-te esta memória. – ele suspirou, acalmando no abraço do corvo.
- A tua companhia apenas já cura tudo… - Sungmin sorriu e afastou-se. - Mas isto… Isto fez-me perceber que não posso desistir do Donghae.
- Essa história outra vez?!
- Por favor, Kyuhyun, tenta compreender. Ele é o meu único amigo aqui. Não posso compactuar com isto. Não posso viver comigo próprio sabendo que algures, ele está a passar por uma constante violação. Estou demasiado envolvido.
- Esses mundos são muito perigosos! Podem-te fazer mal! Podes morrer às custas desta brincadeira, percebes isso?
- Não me interessa! Agora mais que nunca… Agora mais que nunca sei que tenho de o ajudar! Tu não compreendes o degradante que é!
- Porque te preocupas tanto com ele?! Tens apenas de deixar esse bar e esquecer tudo!
- Não é assim tão fácil!
- Como não é assim tão fácil?! Tem de ser, pelo teu bem!
- Estou demasiado envolvido! Eu não sou quem tu pensas!
- Sei que tu não pertences lá!
- Eu pertenço lá, fodasse! – Sungmin enraiveceu-se, deixando Kyuhyun estupefacto. Sungmin nunca se enraivecia. – Tu nunca poderás perceber! Não sou o mesmo Sungmin! Eu… Eu… - o corvo engoliu em seco.
Que se foda, estou farto desta farsa.
- Eu sou um prostituto! – o rapaz admitiu, as lágrimas enchendo o seu olhar.
Kyuhyun olhou sem reacção.
- O… O quê? – a voz saiu como um sussurro. Sungmin engoliu em seco de queixo erguido.
- Eu não sirvo às mesas no bordel, Kyuhyun. Eu vendo o meu corpo. Foi a única maneira de não ficar a viver nas ruas. E o Donghae ajudou-me como ninguém. Apesar de tudo, eu sei que ele merece muito melhor que isto. Eu sei o que ele está a passar e não posso ficar quieto. Já estou demasiado envolvido.”
Kyuhyun olhou-o em choque, afastando-se dele.
- Tu tens-te… Prostituído este tempo todo?
- Desculpa… Eu sei que nunca me perdoarás mas por favor tenta compreender.
- Tu enganaste-me.
- Eu disse-te que já não era quem pensavas que era.
- Mentiste-me! Como podes fazer isto a ti próprio?!
- Achas que faço isto porque quero?!
- Então porquê?! De tantas escolhas, porquê essa?
- Porque precisava! E não, não me orgulho de nada disto! Mas nem sempre a vida toma os rumos que desejávamos! – o corvo deixou as lágrimas deslizar pela sua face perfeita.
- Escolheste brincar comigo.
- Nunca brinquei contigo. Apenas não queria ver o meu melhor amigo a odiar-me e a olhar-me com nojo. Mas infelizmente sinto demasiado por ti para continuar esta façada. Agora sabes quem sou. Podes atirar as pedras que quiseres.
Kyuhyun suspirou.
- Preciso de ficar sozinho.
Sungmin acenou com a cabeça, compreendendo, e agarrou as suas coisas, indo para a porta obedientemente e sem mais uma palavra.
Agarrando a maçaneta e abrindo a porta, o corvo olhou para trás uma ultima vez.
- Lamento que tenhas de fazer parte desta parte da minha vida… Apesar de tudo, o meu coração sempre foi teu e nunca te quis magoar. – ele murmurou antes de sair. Kyuhyun atirou um pontapé à mesa de chá na da sala, virando-a ao contrário, e caiu no sofá.
Ele nunca chorava por ninguém.
A não ser por Sungmin…


***

Donghae entrou dentro do seu apartamento abandonado, já a noite começava a ameaçar o céu. Estava tudo desligado mas o ruivo sabia que quando saísse faria questão de desligar água e electricidade e de entregar a chave ao dono.
Depois de entrar no metro só saíra nos arredores da cidade para passar a noite num qualquer motel desconhecido e discreto. Uma noite numa cama só para ele, sem medos.
Dormira como já não se lembrava apesar de ter acordado sobressaltado com pesadelos duas ou três vezes e sairá de lá mais tarde do que calculara. Tinha em ideia deixar a cidade sem olhar para trás mas não fora capaz de o fazer. Se ia para a frente com isto não podia deixar certos pertences para trás – principalmente aquela fotografia tão importante para si. Era incapaz de os abandonar.

Com um suspiro, caiu sobre o sofá por um momento, tentando acalmar-se.
Tinha medo de demasiadas coisas. Tinha medo de Siwon mas acima de tudo de tentar lutar por liberdade e mais uma vez não ser capaz de encontrar qualquer lugar no mundo para além da prostituição.
Mas não podia gastar o seu tempo a ter medo. Tinha de agir. Com um suspiro, levantou-se e foi em direcção à casa de banho onde se lavou e arranjou para depois se despachar de volta de malas.
A porta bateu e Donghae saltou no lugar, o nervosismo tomando conta dele.
Ninguém sabia onde ele morava! Ninguém para além de Sungmin e algumas pessoas do prédio, incluindo o senhorio.
Engolindo em seco, o ruivo deixou a mala e caminhou para a porta fazendo o menos barulho possível.

Por favor…

Só suspirou quando do outro lado da porta reconheceu Sungmin.
Que raio estava o corvo a fazer aqui?
Ao abrir a porta os olhos de Sungmin arregalaram-se em espanto e o rapaz não pensou duas vezes antes de se atirar ao pescoço de Donghae, arrependendo-se no momento quando o ruivo reprimiu o abraço e fechou a porta quase em pânico.
“Sungmin, que raio fazes aqui?”
“Oh graças a deus que estás a salvo! Fazes ideia do que me preocupei contigo?!” o mais velho atirou em desespero, as lágrimas atacando-o como facas. Donghae mexeu-se no lugar em visível desconforto.
“Porque te preocupas?”
“Porque és meu amigo! Bolas, Donghae, estás com um aspecto terrível, que raio é que ele te fez?!”
“Como é que sabes que-“
“Eu tenho tentado encontrar-te! Quando me disseram que tinhas ganho um dono, fiquei desesperado. Eu sei o quanto odeias pertencer a alguém.”
Donghae olhou o corvo em choque. Suspirou em admiração.
“O-obrigado.”
“Porque estás de volta? Tenho vindo aqui todos os dias e nunca cá estás!”
“Eu fugi. Vim apenas buscar algumas coisas, vou deixar Seoul, deixar tudo para trás, procurar algo melhor…”
“Okay… Okay.” O mais velho abanou a cabeça diferindo a informação. “Deixa-me ir contigo!”
“O quê? Não. Sungmin.”
“A sério, Donghae. Só te quero dar um lugar para ficares. A minha cidade natal é bastante para Sul. Vem comigo, ficas a viver com os meus pais, podes ficar no meu quarto e a trabalhar no café deles antes de encontrares uma casa e um emprego.”
“Eu…”
“Por favor. Não digas que não. Já me ajudaste quando precisei, deixa-me ajudar-te a ti.”
“Eu não sei…”
“Mas sei eu! Vens comigo. Não queres começar de novo longe de Seoul? Que plano tens que te ajude a deixar a prostituição?”
Donghae mordeu o lábio, tocado com a vontade do amigo.
“O-okay. Okay, obrigado.”
“Só quero que sejas feliz. Vem comigo. Dormes em minha casa e partimos de manhã.”
“Deixa-me só acabar a mala.”
“Claro.” Sungmin sorriu com vontade.
Donghae sorriu mais uma vez. Sungmin adorava quando via aqueles raríssimos sorrisos verdadeiros. Donghae era tão bonito, tão delicado e tão boa pessoa. Porque era este mundo tão cruel? Porque era este mundo capaz de transformar uma delicada flor num cacto espinhoso e assustador.
Mas mesmo dos cactos nasciam flores lindíssimas.
Nem tudo seria sempre horrível, certo? Haveria que lutar por um futuro melhor.

O moreno foi agarrar a sua mala e enfiar as últimas coisas lá dentro. Agarrou a única e simples moldura na sua mesinha de cabeceira e sorriu antes de a enfiar também na mala.
Pom. Pom. Pom.
A porta bateu outra vez e o silêncio caiu na casa. Donghae agarrou o peito, tentando acalmar o seu coração. Quem seria desta vez?
Seria o senhorio?
E se fosse Siwon?
E se Siwon o tivesse encontrado? E se ele tivesse torturado Yoona?
Sungmin entrou no quarto em aflição.
- Não é ninguém que te possa fazer mal, certo? - Ele indagou num sussurro desesperado.
Donghae engoliu em seco.
- Eu não sei. - Ele suspirou e caminhou para a porta o mais silenciosamente possível enquanto as mesmas pancadas na madeira ecoavam pela casa. Donghae inspirou fundo e espreitou pelo pequeno vidrinho. Sungmin entrou na sala e olhou o moreno.

Quando este o encarou outra vez, era como se todo o brilho do seu olhar e do seu corpo tivessem desaparecido. Sungmin sentiu-se como que caindo num lago de petróleo. Tudo se tornou espesso e negro, uma aura de aflição tomou conta de ambos e Sungmin sabia que estava tudo perdido.

Donghae fora encontrado e ele não conseguiria salva-lo.

Donghae caminhou para ele, a agonia dentro da sua alma era quase palpável.
- Não abras. - Sungmin sussurrou em aflição.
“Abre de uma vez, Donghae. Sei que estás aí. Poupamos uma porta partida, não achas?” Uma voz grave e dominante apesar de calma soou do outro lado da porta e Donghae fechou os olhos com força.
- Não tens uma escada de emergência? - Sungmin indagou em desespero.
- Não há forma de fugir. Desculpa Sungmin. Vai lá para dentro e o que quer que oiças não saias de lá. Não saias ou ele mata-te! Guarda as minhas coisas. Guarda a moldura na minha mochila e por favor, não desistas de mim. - Ele disse rapidamente num sussurro. Sungmin assentiu, abanando a cabeça com força e lutando contra as lágrimas que atacavam os seus olhos, transbordando facilmente.
- Nunca desistirei de ti.
Donghae abraçou-o por um momento.
- Obrigado por me veres como alguém, para variar.

Sungmin chorou ainda mais quando Donghae o empurrou para o quarto e fechou a porta.
Suspirando fundo, Donghae caminhou para a porta e abriu-a.
Siwon sorriu-lhe delicadamente e Donghae sentiu náuseas só de olhar para ele.
- Penso que te esqueceste de me avisar que vinhas visitar a tua casa, querido. - Ele suspirou, entrando dentro de casa. Donghae impediu-o de avançar muito; o seu corpo à frente do modelo.
- Leve-me de uma vez e pare com esta brincadeira.
Siwon sorriu por um segundo, e no próximo as costas da sua mão voaram com violência contra o pequeno moreno, estalando na sua cara.
Donghae atirou o cabelo que voara para cima dos seus olhos para o lado, engolindo a dor.
- Tu é que andas a brincar. Mas podes ter a certeza que quando chegarmos a casa vais esquecer o que é brincar.
Donghae não mostrou qualquer sentimento. Guardara-os e trancara-os a todos no momento em que fechara a porta a Sungmin. À anos atrás estaria a chorar como uma criança por ser apanhado depois de tentar fugir mas neste momento já mais nada o magoava.

Sungmin, pelo seu lado, lutava contra os soluços, escondido no quarto como um rato.
Como poderia não haver nada a fazer?! Se chamasse a polícia seria tarde de mais. E mesmo que falasse com agentes depois de ele levar Donghae, como meteria alguém com o poder de Choi Siwon atrás das grades?
Assim que a porta de saída bateu, Sungmin correu para a janela. Havia um carro escuro estacionado à porta do prédio e momentos depois, Donghae entrou no dito carro, um homem moreno e alto atrás dele. Não conseguira ver bem a cara dele mas sabia bem como era depois de pesquisar o seu nome na internet.
Tinha de fazer algo... Ele tinha de fazer algo!
Choi Siwon não se ficaria a rir no final com toda esta merda que andava a fazer.

Continua...
----

I'm a mean person xD Mas isto é necessário! A partir daqui ninguém vai parar Kyumin e obviamente que Hyukjae será arrastado xD Oh my EunHae... Já não falta muito para entrares em acção ^^
So... Comment? Comment? :b

PS: Oh e se quiserem seguir as minhas fics em Inglês:
http://www.asianfanfics.com/profile/view/130144
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://twitter.com/kimurapd
Cat
Novo Membro
avatar

Mensagens : 9
Data de inscrição : 13/11/2011
Idade : 25
Localização : Porto

MensagemAssunto: Re: [Suju] Slutty Me (eunsihae/kyumin)   Ter Ago 14, 2012 2:11 pm

aiii so vi agora o update x.x

nem me acredito que iam violar o Minnie ;-; aii se o teuk não tivesse aparecido.. tadinho ! Ele não merece Sad
Depois o Kyu tomou conta dele *how cute* mas whaaa ~ o Kyu nao pode simplesmente virar-lhe as costas agora ! Espero bem que ele ajude o Min a salvar o Hae das garras do estupido do Siwon Mad O siwon é tão ncvxshjnxxsvcbsn so me apetece dar cabo dele ~ fuck ! Tinha mesmo que encontrar o Hae e voltar a aprisona-lo ? O fishy nao merece nada daquilo ;-; e a yoona ? aii espero que nao lhe tenham feito nada..

btw adoro o hyuk a querer fugir aos sentimentos (a)

I WANT MORE KIM bounce <3

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: [Suju] Slutty Me (eunsihae/kyumin)   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
[Suju] Slutty Me (eunsihae/kyumin)
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Com quem te identificas mais nos suju
» Regis Tadeu comenta a agenda de shows de novembro

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
FanFictions Wonderland :: FanFictions :: Kpop-
Ir para: